SINDICATO QUER JORNALISTA À FRENTE DO CONSELHO DE COMUNICAÇÃO DA GUINÉ-BISSAU

O Sindicato de Jornalistas (Sinjotecs) e a Ordem dos Jornalistas da Guiné-Bissau querem ver um elemento da classe a dirigir o Conselho Nacional de Comunicação Social e não um juiz.

Esta posição foi hoje, 15 de maio,  transmitida pela nova presidente do Sinjotecs, Indira Baldé, ao presidente do parlamento guineense, Cipriano Cassamá, durante uma audiência.

As duas instituições manifestaram a sua preocupação a Cipriano Cassamá sobre a necessidade de o Conselho de Comunicação Social passar a ser dirigido por um jornalista “devido à própria natureza da profissão”, defendeu Indira Baldé.

O Conselho Nacional de Comunicação Social da Guiné-Bissau, órgão regulador, é dirigido atualmente pelo juiz-conselheiro do Supremo tribunal de Justiça, Ladislau Embassa, indicado pelo parlamento, instituição que o tutela.

“Há casos em que é mais fácil um jornalista analisar e decidir do que um magistrado”, notou a líder do Sinjotecs, eleita em março último, mas que promete falar com “todas as entidades” sobre o papel dos jornalistas no país.

A seguir ao parlamento, Indira Baldé pretende reunir-se com o Presidente do país, José Mário Vaz, líderes partidários e o Governo.

O presidente do parlamento guineense, Cipriano Cassamá, prometeu levar a preocupação junto das bancadas parlamentares, prometendo usar da sua influência para que o assunto seja debatido no quadro partidário.

Cassamá diz ter “muita esperança” no papel que a nova direção do sindicato dos jornalistas poderá trazer ao país.

 

 

In lusa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa