Secretário-geral do PRS: “É PRECISO REVER A CONSTITUIÇÃO PARA CLARIFICAR AS COMPETÊNCIAS”

O Secretário-geral do Partido da Renovação Social (PRS), Florentino Mendes Pereira disse esta quinta-feira, 10 de janeiro de 2019, que o seu partido defende a revisão da Constituição da República para clarificar as competências e diminuir o conflito inter-institucional que tem sido a “base de desentendimentos” entre a classe política. O político falava aos jornalistas depois da entrega formal das listas de candidaturas a deputado no Supremo Tribunal de Justiça (STJ), em Bissau.

A comitiva dos renovadores que levou as candidaturas é constituida pelo líder daquela formação política, Alberto Nambeia, dos vice-presidentes, dirigentes e militantes, bem como pelo deputado Botche Candé, que decidiu hoje juntar-se aos renovadores nestas eleições.

Após o ato, o Secretário-geral do PRS disse na sua declaração à imprensa que o partido não só está pronto para participar nas eleições legislativas mas também está confiante na sua vitória no dia 10 de março. Acrescentou que o partido apresentou a sua lista na qual constam elementos do movimento Botche Candé, bem como de outros movimentos que se juntaram aos renovadores.

“Continuamos ainda abertos para qualquer apoio político com vista a um futuro entendimento pós-eleitoral”, notou.

Solicitado a pronunciar-se sobre a posição dos renovadores face a realização do referendo sugerido por Presidente José Mário Vaz para mudar o sistema político, disse que a experiência demostra claramente que a coabitação entre o Chefe do Estado e do governo é impossível.

“Não é só nesta legislatura, mas praticamente em todas as legislaturas não tem havido coabitação entre estes dois grandes órgãos de soberania”, observou.

Refira-se que os renovadores apresentaram à imprensa uma nota de protesto ao Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, Paulo Sanhá. A nota lida na voz da diretora nacional adjunta da Campanha do PRS, Maria Inacia Có, explica a preocupação do partido em relação à atual situação política em que o país se encontra, com destaque para as sistemáticas irregularidades e atropelos à Constituição da República e às demais leis, ocorridos durante o processo do recenseamento eleitoral.

 

 

 

Por: Aguinaldo Ampa/Assana Sambú

Foto: Marcelo Na Ritche

One comment

  1. É possível haver coabitação,se houver a mudança de mentalidade dos políticos.
    Se o mesmo sistema funciona em alguns países é porque os seus governantes sabem que não estão lá para mostrar quem é maior, mas sim cumprir as suas obrigações de servir o povo que é seu amo.
    Agora se alguém quiser ser senhor absoluto, que vá criar sua empresa.Só assim, é que possa ter escravos ou servidores e dar ordens conforme entender.
    Senhor absoluto, nunca quem não conformar com o sistema actual,que vá para sua casa e deixe os outros mais humildes, mostrar que é possível coabitação com o sistema em curso.
    Guiné é a Terra de todos nós, façamos dela um paraíso terrestre, onde o lobo convive com a cabra, o cão com o macaco, tigre com a gazela e muito mais.
    Façamos dela a terra de moda, para todos os países da nossa casta. Naturalmente ela é viável, infelizmente a desorganização que a mantem nesse estado de regressão progressiva. Cada ano que passa mais um passo a retaguarda.
    É preciso cuidado,porque se tudo continuar assim, a geração vindouro irá passar pior do que estamos a passar hoje. Em termos lógicos a situação de que hoje deparamos não deveria acontecer, se todos soubéssemos, onde estamos e para onde vamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa