Resultados provisórios: PAIGC VENCE COM MAIORIA RELATIVA E CONTA COM APUANOS PARA GARANTIR MAIORIA NO PARLAMENTO

O Partido Africano para Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) venceu as eleições legislativas do dia 10 de março de 2019, de acordo com os resultados provisórios anunciados  pela Comissão Nacional de Eleições esta quarta-feira, 13 de março, com 47 mandatos, correspondentes a 46,1%. Com este resultado, o PAIGC terá que contar com o apoio da Assembleia do Povo Unido-Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), para assim garantir a maioria no parlamento.

Surpreendentemente, na segunda posição segue o Movimento para a Alternância Democrática (MADEM-15), com 27 mandatos, correspondentes a 26,5% por cento; o Partido da Renovação Social (PRS) figura na terceira posição com 21 mandatos, correspondentes a 20,6% por cento. 

Na quarta posição, Assembleia do Povo Unido-Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), com cinco mandatos, correspondentes a 4,9% por cento e União para Mudança (UM) e Partido Nova Democracia (PND), ambos conseguiram um mandato cada, num universo de 21 partidos políticos que concorreram as eleições legislativas de domingo no país.

Os resultados provisórios divulgados pela CNE revelam que nestas eleições legislativas, o nível de abstenção foi de 116.591, correspondentes a 15,3% por cento, votos em brancos 21,877, correspondentes a 2,9% por cento, nulos 20,323, correspondentes a 2,7% por cento, votos em protesto 504, correspondentes 0,1 % por cento e votos válidos 602,381 correspondentes a 79,1% por cento.  

Momento antes da divulgação dos resultados realizado num dos hotéis de capital, o Presidente da Comissão Nacional das Eleições, José Pedro Sambú, presidente da CNE, disse no seu discurso que o anúncio dos resultados eleitorais “é o momento marcante na vida pública e privada de cada guineense, pois se trata de cumprimento efetivo de um dos desígnios da democracia”.

José Pedro Sambú sustenta igualmente que as eleições “são mais um valor acrescentado para o fortalecimento de nação guineense e a consolidação de democracia pluralista”, tendo assegurado que o escrutínio do passado dia 10 de março, “decorreu num ambiente pacífico e de forma ordeira de elevado civismo e profundo sentido de responsabilidade”.

Tendo acrescentado que em matéria de contencioso eleitoral “ não existe nenhum protesto ou reclamação”.

“Apuramento dos resultados que terei a honra de divulgar, obedece ao sistema de representação proporcional na vertente de método d’Hondt”, espelhou Pedro Sambú.

Por: Aguinaldo Ampa

Foto: Marcelo Na Ritche

One comment

  1. O povo está ansioso, de ouvir as declarações dos partidos implicados, em como aceitaram ou não os resultados provisórios e quais serão os seus próximos passos?
    Numa desputa como esta há esteja melhor posicionado, nas quem ganha é a nação, caso haja entendimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa