Diretor de Orange Bissau: “SE NÃO FOSSE A FIBRA ÓTICA, A INTERNET SERIA PÉSSIMA NO PAÍS”

O Diretor-Geral da Empresa de Telecomunicações da Rede Móvel Orange Bissau, Seydi Ahmed Sy Sarr, afirmou esta quinta-feira, 04 de abril de 2019, que se a Orange Bissau não tivesse feita a escolha de investir na fibra ótica até ao cabo submarino do Senegal, a qualidade da internet que oferece na Guiné-Bissau seria péssima.

Sarr falava na cerimônia de lançamento ‘’em primeira mão’’ da rede de internet 4G+ com uma velocidade duas vezes superior à da 4G lançada em dezembro de 2015, sem qualquer alteração do preço de pacote e acessível com o mesmo cartão, numa cerimónia realizada num dos hotéis da capital.

Na ocasião, Ahmed Sy Sarr disse que o lançamento de 4G+ tem a ver com a exigência do mercado, porque as pessoas querem maior velocidade de internet a fim de poderem assistir a televisão, vídeos e baixar outros aplicativos, quer o cliente esteja na Guiné-Bissau, nos Estados Unidos e ou na Europa. Independentemente da sua localização,  terão exatamente a mesma acessibilidade  porque a Orange está para dar essa resposta.

“Se existe 4G+ no Senegal, na França e nos Estados Unidos, deve haver também essa tecnologia na Guiné-Bissau porque esse é nosso trabalho do dia a dia, enquanto empresa de telecomunicações da rede móvel. A internet está no centro das atividades da população. Há alguns anos contentávamo-nos apenas com alguns kbs porque as aplicações e serviços eram lentos. Depois passamos ao Megabits e hoje estamos no Gigabits, porque as necessidades dos clientes mudaram e isso requer, a nível das operadoras, um aumento sem cessar da capacidade de internet”, informou, precisando que a rede 4G+ vai cobrir toda a cidade de Bissau até junho prόximo, com perspetivas para as grandes cidades regionais no final do ano.

Aquele responsável da operadora móvel, Orange Bissau, assegurou que em 2007 a empresa tomou uma decisão,  quando ainda não tinham o conhecimento de toda a sua implicação que foi colocar fibra ótica  do país até ao cabo submarino. Na época, a internet não tinha  importância que hoje tem. Adiantou ainda que graças a essa ligação, têm boa capacidade da internet 3G, 4G e 4G+.

Segundo dados disponíveis, as licenças das redes 3G e 4G foram atribuidas às duas operadoras ativas no mercado nacional em 2015. Segundo uma fonte do Jornal O Democrata junto da Autoridade Reguladora Nacional, cerca de 400 mil assinantes utilizam a rede internet mόvel [EDGE/3G/4G] no país e, o uso em termos de volume é essencialmente nos aplicativos Youtube, Facebook e WhatsApp.  

Por: Aguinaldo Ampa

Foto: A.A    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa