PRS ACUSA COMUNIDADE INTERNACIONAL DE TER SIDO PARCIAL NA CRISE POLÍTICA QUE ASSOLOU O PAÍS

O Partido da Renovação Social (PRS) acusou, esta quinta-feira 18 de abril de 2019, a comunidade internacional de ter sido parcial e injusta na sua atuação durante a crise política que assolou a Guiné-Bissau nos últimos quatro anos, exortando-a a corrigir essa atuação nas próximas oportunidades, para o bem do país.

Sola Nquilim Na Bitchita falava na cerimônia de posse de 102 deputados da nação realizada num dos hotéis de capital, em representação do presidente do Partido da Renovação Social Alberto Nambeia. Na ocasião, Na Bitchita disse que o cenário político do passado foi um marco importante no longo caminho percorrido, não obstante as adversidades de toda ordem rumo a uma sociedade de mulheres e homens verdadeiramente democrática.

O dirigente dos renovadores informou que dar continuidade aos anseios de cidadania de forma descomplexada e transparente, sem arrogância, calúnia, insultos e conflitualidade gratuita continuará a ser a razão da existência do PRS e da sua bancada parlamentar na Assembleia Nacional Popular, a arena política por excelência, onde todas as soluções políticas devem ser equacionadas, por mais difíceis que sejam, .

“É convicção nossa que a distribuição de mandatos nessa X legislatura bem como a experiência política vivida ao longo da última legislatura de triste memória propõem a todos nós sem exceção para a concretização dos anseios acima mencionados, um trabalho árduo na busca de grandes consensos reformistas que circunstâncias atuais fazem valer mais que todas as engenharias politicas apresentadas e escondidas até agora e que se destinam ao jogo político”, apontou.

Sola Nquilim Na Bitchita assegurou que falar da reforma como condição indispensável ao cumprimento das demandas das populações é entendimento do PRS e da sua bancada parlamentar e que as mesmas devem centram-se na justiça que deverá ser verdadeiramente justa, dando resposta aos cidadãos que muito aguardam no que diz respeito ao falado caso do arroz do povo, assassinatos e espancamentos políticos, resgates financeiros, tráfico de drogas e muitos outros. Assim, a bancada parlamentar do PRS, valendo-se da sua longa experiência de 25 anos, saberá separar em cada ocasião o útil do inútil, o partidário do  nacional.

“Realizadas as últimas eleições legislativas a 10 de março do presente ano, o PRS viu o seu número de mandatos reduzir-se em 50 por cento, o que certamente poderá comprometer o nível do que tem sido o desempenho do partido nas legislaturas anteriores. Ciente da situação, medidas compensatórias serão acionadas por forma a continuar a escrever na história política deste país ao lado dos nossos irmãos políticos”, reconheceu.

Por: Aguinaldo Ampa

Foto: Marcelo Na Ritche         

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa