MOVIMENTO JOMAV DEFENDE QUE NOMEAÇÃO DO PRIMEIRO-MINISTRO DEPENDE DA FORMAÇÃO DA MESA DA ANP

O vice-presidente do Movimento de apoio a José Mário Vaz, Mussa Turé, apontou hoje, 21 maio de 2019, o impasse na composição da Mesa da ANP entre Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-verde (PAIGC), Movimento para Alternância Democrata (MADEM) e o Partido da Renovação Social (PRS) como motivo de o Presidente da República não ter nomeado até agora o novo Primeiro-ministro a ser indicado pelo partido vencedor das últimas eleições legislativas de 10 de março.

Em conferência de imprensa realizada na sede do movimento em Bissau, Mussa Turé sustentou que o Chefe de Estado sempre atuou na base das leis da República e despachos judiciais.  No entanto, adianta que o Primeiro-ministro só será nomeado se a mesa da Assembleia Nacional Popular for constituída completamente.

Para Turé, o país conheceu a liberdade de expressão graças à abertura dada pelo Presidente da República, que sempre optou pela legalidade.

“JOMAV está de mãos limpas, não se verificou durante seu mandato mortes como aconteceu no passado com então Presidentes da República”, afirmou, sublinhando que o país vive neste momento num clima de paz graças ao empenho do Presidente da República, “que sempre zelou, enquanto primeiro magistrado, pela paz e liberdade de expressão”, notou.

O movimento responsabiliza o PAIGC pela atual situação em que se encontra o país, com greves devido à falta de salários aos funcionários públicos. Turé acusa ainda os libertadores de viverem sempre a base da intriga, desinformação e difamação.

O movimento nega qualquer ligação do presidente ao propalado caso de arroz doado pela República Popular da China, afirmando que o governo é aa entidade responsável pela distribuição ou eventual venda do produto, “arroz do povo”.

Por: Epifania Mendonça

Foto: E.M

9 comments

  1. Soares Vicente Mendes disse:

    Mussa eu discordo com a sua afirmação no que diz respeito a liberdade de expressão, mesmo aceitando ou não a liberdade de expressão está bem explícito na nossa constituição da república. A sua execução não depende de ninguém e muito menos da presidente da república, porque ele não é um rei ou não estamos a viver num período da monarquia absoluta em alguns palavras decisões do rei é tido como lei.
    A nomeação do primeiro ministro não tem não tem nada a ver com a formação da mesa no hemiciclo de ANP, nenhum artigo da nossa constituição disse o presidente da república nomeia o primeiro ministro tendo em conta o resultado da formação da mesa mas sim tendo em conta os resultados eleitorais e ouvir as forças vivas da nação, que neste momento estão bem representado na aANP.

  2. Carlos Gomes Correia disse:

    O que que o tal dito movimento tem haver com a situação de nomeação do PM?
    É triste se a questão é meramente política que não tem nada haver com a eleição da Sua Excelência Senhor Presidentebda República.

    Por favor caros colegas e jovens guinensese vamos reflectir nos Nosso futuros invés de estamos a perder tempo atrás dos políticos demagogos que não queriam o bem estar Deste povo.
    Por favor, por favor já chegou ora de formatar os movimentos vigente no país e pensarmos da forma construtiva em como Desenvolver o nosso país e deixamos De lado as propagandas fantos politica(…).
    Onde está problema para a nomeação do PM se todos nós sabemos que há vencedor da eleição, apesar de o povo não deu ninguém a vontade Deu de governar da forma maioritaria, mas sim da forma relativa, felizmente há consenso maioria parlamentar porque houve a coligação partidária ou seja se incidência parlamentar entre todos os partidos concorrentes as eleições legislativa do passo dia 10 de Março (PAIGC/APU PDGB e o PRS/ MADEM G15).

    Por favor vamos pensar o país e evitamos de conferências de emprensa falsas.
    Um forte abraço.

  3. Da silva disse:

    o shr mussa ture voçe não senti medo nem vergonha de dizer essa conversa interessi ka Bali abaixo interesseru abaixo jomav abaixo malcrácia abaixo pra vçs tds viva povo guineense

  4. Npenda disse:

    Triste ver alguns filhos da Guineene, apoiar politicos ou partido atores de problemas que país vive nesse momento. nao sou , nem quero , nunca serei militante dum partido na Guine.porque acho politica na Guiné jamais existe. vao la para ganhar dinheiro e resolver os seus problemas.o que ANP tem haver com nomeacao
    do P.M ?
    Guineenses temos que deixar de engraçar
    Cada um arranja a sua ocupacao ganhando o seu pao de cada dia. Todo mundo hoje na Guine fala da politica, sem ter nocao de nada da política. O país nao pode nem crescerá só com juristas.
    JOMAV é responsavel nr 1 sobre o que passa desde 2015 na Guine.porque funciona como arbitro, jogador e treinador enquanto devia ser só arbitro. Para quê criar movimento ? em pleno exercício do mandato ? um bom presidente nao precisa de Guarda costa, muito menos movimento do apoio.
    Partido de oposicao deverao fazer oposicao construtiva, sério e responsavel para convencer eletorados na proxima embate, se quiserem governar. agora assim mina as suas imagens. P.R.S ja ta a
    Pagar para isto. PAiGC por mais que seja culpado ou nao , todo mundo sabe ganhou eleição na urna, ele que deverá mandar, por cima tem acordo de incidencia.
    Nós que perdemos temos só fazer trabalho dw casa para proxima eleicao.mais nada. Por favor teem piedade daquele povo, que nao tem escola, hospitais em condicao, que nao tem refeicao completa na mesa etc….

  5. Papa Onimoto disse:

    A mesa já está constituída faltando apenas apresentação por MADEM-15 do outro candidato para o preenchimento do lugar do 2°vice. Entretanto a lei não faz depender a nomeação do PM d constituição da mesa da ANP.

  6. Faustino Gomes Sá disse:

    Eu só tenho uma pergunta para esse pateta, você é guineense? O Jomav é o seu padrasto? Só pode ser.

  7. Brigido disse:

    Não deixa que o sustento temporário termina com o seu futuro.
    És jovem não tem como perder esperança. Pensa na sua capacitação e defende a Guine-Bissau envez de agir como um inocente.

  8. Os Guineenses continuam de olhos postos nas tendências conflituosas, mesmo que custe um colapso para o país, mas que saiam aganhar nas suas mendigágens e práticas bobos, ou palhaçada para agradar os dirigentes mal preparados. Se querem fazer Política avancem já na formação do partido, em vez de caprichoso movimento de apoio que não existe no nosso ordenamento jurídico.
    A mendigagem se faz na mercado de Bandim e não nos ditos gabinetes do apoio.
    Agora qual é o papel de acessória do Presidente da república, uma vez que o grupo de interesse e mendigos pretende tomar conta de tudo. Será que são mesmo dignos chefes de famílias? Quereio que não, se fossem, pensariam como é que maior dos chefes da família passam nesse momento e evitariam falar besteiras.
    O momento é de autêntica tensão social e porque no lugar de deitar água na fervura optam fazer o contrário ou melhor reforçar a gasolina.
    Onde é que está a cidadania e vossa acção altruísta e de amor ao próximo.

  9. Cassama kunda disse:

    VIVA JOMAV, VIVA GUINÉ-BISSAU, ABAIXO IGNORANTES DA QUELE PARTIDO QUE FEZ QUASE 50 ANOS DE PODER SEM NENHUMA IDEOLOGIA DA CONSRUÇAO DO PAÍS…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa