Marcha pacífica: JUVENTUDE DA NOVA MAIORIA PARLAMENTAR EXIGE NOVO GOVERNO

A juventude das quatro formações políticas (PAIGC, APU-PDGB, UM e PND) que constituem a nova maioria parlamentar guineense saiu esta quarta-feira, 22 de maio de 2019, e pela segunda vez consecutiva, às ruas da capital Bissau para exigir a nomeação imediata do Primeiro-ministro indigitado pelo partido vencedor das últimas eleições legislativas de 10 de março e a consequente formação do governo.

Incialmente estava previsto que os líderes dos partidos agrupados na nova maioria parlamentar tomassem parte na marcha, mas os marchantes tiveram que fazê-lo sem a presença de pelo menos um dos dirigentes destas formações políticas. Presidente da Comissão organizadora das marchas, Ussumane Camará, justifica a ausência do líder do PAIGC, evocando estratégias do grupo.

O líder da comissão organizadora das marchas anunciou também na terça-feira, 21 de maio, que, no final da marcha desta quarta-feira iniciada no espaço verde, no bairro D’ajuda, em Bissau, Domingos Simões Pereira seria empossado no cargo de Primeiro-ministro, mas na prática não aconteceu.

“Esta é aquela parte informal, manifestação do sentimento de um povo. Um ato formal seria o direito reservado ao Presidente da República de nomear Domingos Simões Pereira. Sairemos daqui e vamos encontrá-lo na sua residência e torná-lo novo Primeiro-ministro”, assegurou Camará.

Em declaração aos jornalistas, Ussumane Camará disse que estão determinados na sua luta porque  acreditam que a nova maioria parlamentar tem condições para governar o país e fazer face aos desafios que a Guiné-Bissau vem enfrentando.

“Na ausência de um governo legal e responsável tornar-se-á difícil contornar essa situação. Se Presidente da República continuar a omitir-se das suas obrigações constitucionais, nós, enquanto povo que votou, decidimos legitima-lo para que assuma o país a partir de amanhã. Por isso estamos aqui para mandar o nosso recado ao José Mário Vaz que fique com o seu decreto presidencial por mais cinco anos, se quiser, mas Domingos Simões Pereira entra em função amanhã”, vincou.

A juventude da nova maioria promete, se o Chefe de Estado não cumprir com as suas obrigações constitucionais, continuar com mais manifestações de rua, vigílias e até greves de fome, para repudiar o que chamou de “atitudes irresponsáveis do Presidente da República”, exigindo-lhe que nomeie imediatamente o novo Primeiro-ministro.

Por: Filomeno Sambú

Foto: Marcelo Na Ritche

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa