MULHERES DE PARTIDOS DA MAIORIA PARLAMENTAR PROMOVEM VIGÍLIA PARA EXIGIR FORMAÇÃO DO GOVERNO

Cerca de uma centena de mulheres que se autodenominaram de “Mulheres Democráticas” de diferentes formações políticas aliadas dos libertadores (PAIGC) promoveram na quinta-feira, 06 de junho de 2019, uma vigília para exigir a nomeação do novo Primeiro-ministro indicado pelo partido vencedor das eleições de legislativas de 10 de março e, consequentemente, a formação do governo.

A iniciativa das mulheres de diferentes formações políticas, que na sua maioria fazem parte do fórum de concertação democrática (PAIGC, APU-PDGB, UM, PND, PCD, PUN, MP e PJ), visa fazer pressão ao Chefe de Estado, José Mário Vaz, a nomear Primeiro-ministro e consequente formação do governo e acabar com as crises sociais e económicas que se registam no país. As mulheres trajadas de panos pretos e camisas brancas em sinal de ‘luto’ juntaram-se na Praça de Che Guevara, em Bissau, com as velas nas mãos e algumas com dísticos, onde se pode ler as seguintes frases: ‘’Rispita kil ki Bambaram di Ferru’’; ‘Mindjeris i firkidja di uma nação’; ‘Presidente lanta bu cudinu anós i bu mame…’

Gabriela da Silva, representante do Partido Africano para Independência da Guiné e Cabo-verde (PAIGC), disse que ficaram muito decepcionadas com a posição do Presidente da República por não se ter, até neste momento, pronunciado nada sobre a nomeação do Primeiro-ministro e a consequente formação do governo para desembaraçar o impasse no país. Para Gabriela da Silva, Assembleia Nacional Popular está a ‘’funcionar normalmente’’ pelo que não há motivos que possam impedir a nomeação de novo Primeiro-ministro e, consequentemente, a formação do governo.

Alertou, no entanto, ao Presidente da República para tomar medidas necessárias, o mais rápido possível, para nomear o novo primeiro- ministro e avisa ainda que o próximo passo não será bonito, pois a comunidade internacional será alertada a tomar medidas mais agressivas sobre o impasse que se vive no país.

Por seu lado, representante da União para Mudança (UM), Denise Lopes Camará, pediu união entre todos os cidadãos guineenses, sobretudo no seio das mulheres. Avança neste sentido que as mulheres devem ter a coragem de exigir o Presidente da República para nomear novo Primeiro-ministro e formar o governo, porque conforme disse, “o povo está cansado desta situação’’.   

Por: Carolina Djeme

Fotos: Marcelo Na Ritche

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa