Após a eliminação de São Tomé: JOSEPH MENDES DIZ QUE ENTROU NA HISTÓRIA DE FUTEBOL GUINEENSE

O avançado guineense, Joseph Mendes, disse que entrou na história de futebol guineense com a qualificação da turma nacional para a fase dos grupos para o mundial 2022 a realiza-se em Qatar, através dos seus dois golos e que permitiram a eliminação da seleção são-tomense e, consequentemente, a passagem da seleção nacional. 

O avançado de 28 anos que joga na segunda liga francesa na equipa de AC Ajaccio é considerado como o “devorador” dos “Falcões e Papagaios” de São Tome e Príncipe. Mendes foi o autor de golo em Príncipe que valeu a vitória dos “Djurtus” por uma bola a zero, através da cobrança de penálti. O gigante Joseph Mendes voltou a estar ao seu nível e conseguiu marcar dois golos nos minutos 66 e 77 da parte, através de assistência de médio Piquete Djassi.   

“Estou contente por ter marcado dois golos para a seleção nacional e consegui entrar na história de futebol da Guiné-Bissau, por ser a primeira qualificação do país para a fase dos grupos”, orgulhou-se.

CAPITÃO MAMADU CANDÉ: “ENTRAMOS BEM NA SEGUNDA PARTE E POSICIONAMOS MELHOR”

O Capitão da turma nacional, Mamadu Candé, reconhece que a equipa adversária entrou melhor nos primeiros minutos do jogo e conseguiu fazer o golo, contudo assegurou que a seleção nacional entrou bem na segunda parte e posicionou-se melhor. 

Candé, que joga na primeira liga do campeonato português na equipa de Santa Clara de Portugal, falava ao jornalista da Rádio Sol Mansi, depois do final da partida ganha pela turma nacional, qualificando-se assim para a fase dos grupos da eliminatória para o mundial 2022, que se realiza em Qatar. 

Mamadu Candé disse que a seleção nacional entrou muito bem na segunda parte e posicionou-se bem no retângulo do jogo. Acrescentou ainda que conseguiram controlar a bola na segunda parte, determinados e mais confiantes para encarrar o adversário.

PIQUETE DJASSI: “SABÍAMOS QUE O JOGO SERIA DIFÍCIL, MAS ACREDITAMOS SEMPRE”

O avançado Piquete Djassi reconhece na sua declaração ao repórter da Rádio Sol Mansi que (jogadores) tinham a consciência de que o jogo seria difícil, mas acreditaram sempre que podiam fazer qualquer coisa, porque estão a jogar em casa na presença das suas famílias.

“Agora vamos continuar a preparar para próximas partidas na fase dos grupos”, perspectivou o avançado de Ismália da Arábia Saudita.  

Por: Redação

Foto: O Democrata 

One comment

  1. Eduardo Brandao disse:

    Ismaily do Egipto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa