PGR: “AS INVESTIGAÇÕES RELATIVAS À RECENTE APREENSÃO DE DROGA NA SEQUÊNCIA DA OPERAÇÃO “NAVARRA“ ESTÃO CONSISTENTES”

O Procurador Geral da Republica, Ladislau Embassa, afirmou esta sexta-feira, 13 de setembro de 2019, que o processo de Investigação da droga apreendida no início deste mês (02 de setembro), no âmbito da operação “Navarra”, nos setores de Caió e Canchungo, norte do país, está a decorrer “de forma consistente” e que os prazos previstos na lei serão cumpridos e, consequentemente, dentro de prazo legal produzir-se-á uma acusação provisória.

Ladislau Embassa deu esta garantia à margem da visita de poucas horas que efetuou às instalações da Vara Crime  do Tribunal Regional de Bissau, onde se encontrou com  os magistrados titulares do processo ligado a apreensão das cerca de duas toneladas de droga pela Polícia Judiciária.

O responsável do órgão detentor da ação penal assegurou igualmente aos jornalistas que, se eventualmente houver qualquer requerimento de impugnação contraditória, ela será realizada e acompanhada pelo Ministério Público para que no fim “todos nós tenhamos uma acusação definitiva para pôr cobro a situações deste género”, assegurou.

Porém, Ladislau Embassa reconhece que crimes desta natureza são “muito graves” e que podem pôr em causa as bases do funcionamento da sociedade, daí a necessidade de a PGR cumprir a sua missão e estar à altura dos desafios e assumir as suas responsabilidades de combater o tráfico de droga com a eficácia necessária, bem como respeitar os prazos previstos para a acusação do processo.

Em reação às informações que apontam que o colombiano, supostamente o cabecilha do grupo, está fora das celas, o PGR nega e diz que tais informações não correspondem à verdade e assegura que o processo está a ser conduzido “ com muita responsabilidade e profissionalismo necessários”.

“Os suspeitos que estão sendo mantidos na prisão preventiva continuam nessa condição”, realçou.

O também Juiz Conselheiro desdramatizou ainda a preocupação do líder do PAIGC, que na sexta passada( 09 de setembro) terá pedido à CEDEAO para monitorizar as ações do Procurador Geral da República, por suspeitar que o formato definido na Cimeira dos Chefes de Estado e do Governo da organização sub-regional não foi respeitado.

Para Ladislau Embassa, o importante neste momento para a sociedade e o país é o combate ao tráfico de droga e à criminalidade. Disse igualmente que não tem conhecimento da fuga da patroa acusada de queimar a sua empregada, em 2018. Mas acredita que o caso esteja nos tribunais sob a alçada dos juízes e magistrados da Vara Crime, que em princípio estarão na posse de informações sobre o caso.

“Da parte do Ministério Público já se produziu uma acusação definitiva. Aliás, o julgamento foi agendado algumas vezes, mas foi adiado”, confirmou.

Por: Filomeno Sambú

Foto: F.S

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa