Vigília: TÉCNICOS DE SAÚDE RECÉM-COLOCADOS EXIGEM PAGAMENTO DE 11 MESES DE SALÁRIOS

O Coletivo de cerca de mil e noventa técnicos de saúde recém-colocados exigiu pagamento de 11 meses de salários. A exigência foi tornada pública esta segunda-feira, 07 de outubro de 2019, durante uma vigília promovida junto do Ministério da Saúde Pública. Os técnicos revoltados impediram a circulação das viaturas frente ao Ministério [avenida Unidade Africana]. Exibiam cartazes onde se podia ler as frases como: “com o salário voltamos a trabalhar! Bo dano no dinheiro! Um ano sem salário, mas servindo com sacrifício a população!  ku dinheiro na conta pa riba tarbadju”! 

Almame Sissé, porta-voz do coletivo, disse ao jornal O Democrata que não estão de acordo com a proposta do executivo em pagar apenas dois meses, no entanto, dão  ao governo até dia 18 de outubro para liquidar as dívidas que tem para com os técnicos  de saúde recém-colocados e garantem que não vão voltar ao posto de trabalho se a presente situação não evoluir.

Segundo o coletivo os 1089 agentes de saúde em questão (médicos, farmacêuticos, enfermeiros, biólogos, técnicos de rádio e laboratórios, parteiras) representam uma boa parte de técnicos ativos nos centros de saúde espalhados por todo o país. A última efetivação (colocação) dos agentes de saúde antes deste grupo data-se de 2015.  

“Trabalhamos onze meses sem salários e temos dívidas acumuladas, sobretudo os colegas que foram colocados nas zonas mais distantes, ou seja, no interior do país, com dívidas de renda por pagar, pelo que não faz sentido o governo avançar apenas com o pagamento de dois meses”, lamentou.

Por: Carolina Djemé

Fotos: Marcelo Na Ritche 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa