Advogado do PAIGC: “RESULTADOS PROVISÓRIOS SÃO FALSOS E INVÁLIDOS”

Carlos Pinto Pereira, porta-voz do coletivo de advogados do Partido Africado da Indepêndencia da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), afirmou no final desta tarde, 12 de janeiro de 2020, que os resultados provisórios divulgados pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) são “falsos e inválidos”. O advogado fez esta afirmação durante uma conferência de imprensa realizada em Bissau esta tarde, para reagir ao Acórdão do Supremo Tribunal de Justiça.

Carlos Pinto Pereira acusa a CNE de estar a fabricar atas,  que a própria CNE apresentou tanto no apuramento regional como a nível nacional.

“O apuramento regional e nacional apresentado pela CNE não corresponde à verdade”, disse para de seguida denunciar  que houve tentativa de manipulação de dados eleitorais por parte da CNE.

Segundo o porta- voz dos advogados do PAIGC, a colcusão do Supremo Tribunal de Justiça indica que não está em condições de fazer nenhuma apreciação face ao pedido ou recurso presentado pelos advogados do PAIGC.

Por isso o partido que apoiou a candidatura de Domingos Simões Pereira defende a recontagem dos votos, não a apresentação das atas.

“As eleições de 29  de dezembro são nulas e denunciamos que estão em causa mais de cem mil votos mal contabilizados”, observou.

De referir que o coletivo de Juízes Conselheiros do Supremo Tribubal de Justiça da Guiné-Bissau (STJ) determinou que seja cumprida a formalidade legal prevista na lei eleitoral antes da publicação dos resultados eleitorais, ou seja o STJ exigiu a entrega da Ata da plenária da Comissão Nacional de Eleições que aprovou os resultados das eleições de 29 de dezembro apurados. 


Por: Filomeno Sambú

Foto: F.S

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa