ALUNOS DE ATTADAMUN EXIGEM O RETORNO ÀS AULAS

Os alunos do Centro Escolar Attadamun (CEA) realizaram na quinta-feira, 30 de Janeiro de 2020, uma vigília, de poucas horas, em frente  ao portão principal que dá acesso ao interior do edifício para exigir da direção executiva o retorno às aulas.  

Em declarações  à imprensa, o vice-presidente da associação de alunos daquele estabelecimento escolar do ensino secundário, Ussumane Maniche Dikco Djaló, revelou que há três dias não tiveram aulas na sequência de uma  reinvindicação de professores e pessoal de administração que reclamam melhorias de condições  laborais  e aumento salarial.    

“Já nos reunimos com a direção, mas não foi capaz de explicar as razões da paralisação”, assinalou o estudante da escola em regime de auto-gestão. O líder estudantil exortou à direção a envidar os esforços para que os alunos possam voltar, o mais rápido possível, às salas e ter o normal funcionamento das aulas.

Por outro lado, o porta-voz do Sindicato de Base dos Professores da referida escola, Relino João Pelly da Silva, confirmou que o coletivo  que representa  exigiu da escola a melhoria de condições  laborais e aumento salarial para todos os funcionários do centro, conforme documentos legais aprovados pelo governo. 

“Estava previsto que, de quatro em quatro anos, haveria aumento salarial em função da progressão de carreira”, lembrou.

Segundo Pelly da Silva, documento onde constam as  exigências teria sido já entregue  ao Ministério da Educação e que teria recomendo à direção da escola para criar um espaço de diálogo com o sindicato de base.  

“Porém, não houve nenhuma resposta satisfatória, mesmo depois da reunião promovida pela própria direção com o sindicato”, precisou.

Relino João Pelly da Silva avisou que se as exigências não forem atendidas, nesta primeira fase, o sindicato entregará um novo pré-aviso de greve de três  dias. 


Por: Djamila da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa