Dia da heroína nacional: MULHERES DE PARTIDOS QUE APOIAM SISSOCO EMBALÓ RECORDAM DA TITINA SILÁ

As mulheres dos partidos políticos e movimentos que apoiaram Úmaro Sissoco Embalo na segunda volta das eleições presidenciais de 29 de dezembro recordaram da Titina Silá, heroína nacional morta pela bala inimiga na travessia do Rio Farim, norte do país.

As mulheres assinalaram a data, 30 de janeiro, com a realização de várias atividades, entre as quais uma conferência sob lema: “o papel da mulher na luta de libertação nacional” e a deposição  de coroas de flores na estátua Titina Silá, no jardim praça Titina Silá, em Bissau. A inciativa foi alargada às campas de outras figuras que estavam ligadas às estruturas femininas do Movimento para a Alternância Democrática (MADEM-G 15) e do Partido da Renovação Social (PRS).  

Na ocasião, Emília Tomé, secretária nacional da organização das mulheres da Assembleia do Povo Unido-Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), sublinhou que o ato visava essencialmente render homenagem às mulheres que deram as suas vidas para a dignidade dos guineenses.

Emília reconheceu o trabalho das mulheres que sempre estiveram ao lado dos homens para dignificar o seu povo e prometeu continuar com a mesma luta.   

“Não estávamos presentes na luta de libertação nacional, mas somos combatentes da democracia”, realçou.

Por sua vez, Tomás Gomes Barbosa, um dos dirigentes do MADEM-G15, salientou que “o dia de hoje serve para prestar homenagem a todas as combatentes desconhecidas, mas que de uma forma envergaram fardas no corpo para defender os interesses, a dignidade e criaram condições para que haja identidade cultural do povo guineense. Por isso, vale a pena preservar a memória, a história de aqueles que estão ainda em vida”. 


Por:Carolina Djemé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa