LÍDER DE APU-PDGB REAFIRMA QUE EXISTE NOVA MAIORIA PARA APOIAR SEU GOVERNO

O líder da Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), Nuno Gomes Nabian, reafirmou esta quinta-feira, 21 de maio de 2020, que existe uma nova maioria parlamentar suportada por MADEM, PRS e APU-PDGB, através de um acordo da incidência parlamentar. O primeiro-ministro do atual executivo pediu, por isso, abertura do parlamento para apresentação e, consequentemente, aprovação do instrumento governativo do seu governo.

Nabiam fez estas considerações à saída de uma reunião convocada pelo partido libertador (PAIGC), vencedor das eleições legislativas de março de 2019, com o intuito de encontrar uma solução política para a formação do novo governo, na sequência da recomendação da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO). 

A delegação do PAIGC que reuniu com os partidos políticos representados na Assembleia Nacional Popular(ANP)  foi chefiada pela sua segunda vice-presidente, Maria Odete Costa Semedo, e contou com a presença do seu terceiro vice-presidente, Califa Seidi, e do Secretário Permanente do partido, Aly Hijazi.

Em declaração aos jornalistas, Nuno Nabian informou que o acordo assinado pelo seu partido para a constituição da nova  maioria parlamentar já foi entregue ao chefe de Estado guineense, bem como depositado no Supremo Tribunal de Justiça (STJ), por isso “não deve haver muito puxa-puxa”.

“Não são os deputados que assinam ou  representam o partido na assinatura do acordo. A APU assinou o acordo e o seu presidente é a figura legítima indicada para representar o partido no ato deste género. A nossa posição foi clara e transmitimo-la aos nossos irmãos do PAIGC. Dissemos-lhes que a APU  não tem nada mais com o PAIGC, que o acordo assinado foi rasgado  e a  APU já assinou novo acordo. Resta que o parlamento seja reaberto para permitir que este governo apresente o seu programa e demostre que tem de fato uma maioria”, assinalou.

Solicitado a pronunciar-se sobre a sua relação, na qualidade do presidente do partido, com os seus deputados, Nabian afirmou que tem uma boa relação com os seus deputados. Contudo, admitiu que é normal que cada deputado tenha a sua visão, contrária àquilo que é o entendimento da direção do partido.

BATISTA TÉ CONFIRMA “FIDELIDADE” DA APU-PDGB À DIREÇÃO DO PAIGC

Batista Té, quinto vice-presidente da Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), disse que a direção daquela formação política continua a apoiar o acordo de incidência parlamentar e da estabilidade governativa, assinado com o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). Disse que, por isso, continua a apoiar a proposta dos libertadores de chefiar o novo executivo na qualidade do partido vencedor das eleições legislativas de março de 2019.

“A proposta do PAIGC é criar um governo do consenso que vai liderar e depois negociar com todos os partidos políticos com assento no parlamento a forma de reintegrá-los no governo”, assegurou o político.

Batista Té diz acreditar, por isso, que a direção presidida por Mama Saliu Lamba respeitará a Constituição da República e o acordo assinado com os libertadores, depois das eleições legislativas de 2019. 

Questionado sobre a possibilidade da reconciliação no seio dos apuanos, explicou que já se iniciaram os contatos entre as partes, tendo assegurado que vão conseguir entenderem-se, porque “o problema não é da APU-PDGB, portanto não nos podemos desentender por causa de problemas dos outros”.

Por: Assana Sambú

Foto: A.S

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa