MILHARES DE GUINEENSES DESPEDEM-SE DOS “DJURTUS”

Milhares de guineenses saíram, ontem, 09 de Janeiro 2017, à rua para se despedirem dos jogadores da seleção nacional que representam o país no Campeonato Africano das Nações, CAN Gabão/2017. O ambiente era de  um autêntico “carnaval”.

Avenida principal, Combatentes de Liberdade de Pátria, estava inundada de adeptos guineenses que foram dar um impulso de força à seleção nacional que, antes de deixar o país, passou por artérias da capital Bissau, começando pelo seu “quartel-general”, num dos hotéis do capital e rotunda do império, acompanhada de sons ao ritmo da música nacional e de milhares dos guineenses.

Os jogadores da seleção dos “Djurtus”, a equipa técnica e alguns elementos do Comité Executivo, um órgão da Federação de Futebol da Guiné-Bissau, estavam no autocarro da seleção nacional, escoltados por duas motas da escolta presidencial. Viaturas proporcionavam sons da música da seleção nacional.

Ao longo da avenida principal até à rotunda do império, os Djurtus receberam saudações e aplausos dos citadinos que encheram a via principal e à medida que avançava a caravana, os mesmos seguiam a pé até ao império.

Ouviam-se apenas cânticos de glória aos jogadores, sons de tambores e cornetas de claques. E o sentimento de crença num resultado positivo no CAN 2017, naquilo que é a primeira participação do país na maior competição africana em futebol.

Na verdade, os guineenses demonstraram paixão e admiração pelas cores nacionais e deram a força suficiente aos 23 guerreiros de Baciro Candé.

A caravana desportiva foi recebida pelo Presidente da República, José Mário Vaz, no Palácio presidencial, e de seguida os jogadores e outros elementos da caravana subiram a esplanada da Presidência para acenar aos milhares dos cidadãos em frente à presidência.

jogadores-da-seleccao-equipa-tecnica-e-presidente-da-republica-despedem-dos-adeptos

De regresso, o autocarro que transportava os atletas seguiu diretamente para o aeroporto internacional Osvaldo Vieira, numa caminhada mais rápida do que na hora de ida, mas mesmo assim, os que puderam conseguir viaturas e outros meios de transporte, seguiram-nos até ao aeroporto de Bissau.

O avião que transportou a seleção nacional deixou o país às 19h45 e aterrou no solo gabonês às 23h50. Na ora de despedida no aeroporto Osvaldo vieira, o primeiro ministro, Úmaro Sissoco Embaló, pediu a máxima concentração e disciplina, porque Guiné-Bissau e Gabão são dois povos irmãos.

Para o chefe do executivo, o mais importante é a participação do país no CAN, do que os resultados dos jogos.

 

 

 

Por: Alcene Sidibé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa