O que é necessário saber da febre da Ébola?

A febre hemorrágica de vírus de Ébola é uma das doenças virais das mais virulentas conhecidas no homem.O vírus Ébola provoca graves irrupções epidémicas da febre hemorrágica viral no homem.Estas irrupções têm uma taxa de capacidade mortal podendo atingir90%. Noutros termos,90%dos doentes acabam por morrer.As irrupções de febre hemorrágica de vírus de Ébola surgem principalmente nas tabancas isoladas da África Central e da África Ocidental, nas proximidades das florestas’’ ombrophiles’’ tropicais.O vírus transmite-se ao homem a partir dos animais selvagens e propaga-se em seguida nas populações por transmissão inter-humana. Pensa-se que os morcegos frugívoros (da família dos ‘’Pteropodidae’’) são os anfitriões naturais do vírus Ébola. Não se dispõe de nenhum tratamento, nem vacina, seja ela para homem ou para animal.

                                  Como se transmite o vírus Ébola?

O vírus Ébola transmite-se essencialmente de uma pessoa doente a uma pessoa sã e também por objectos sujos pertencentes à pessoas doentes ou falecidas.
No homem, transmite-se também por contacto directo com o sangue, os líquidos biológicos ou os tecidos de seres infectados. Os ritos funerários, durante os quais os parentes e amigos do defunto ficam em contacto directo com os restos mortais podem igualmente desempenhar um papel na transmissão do vírus Ébola. Pode haver nisto uma transmissão através de esperma até sete semanas após a cura clínica.                          Agentes de saúde foram muitas vezes contaminadas em contacto com doentes que eles tratavam… O consumo de carne de animais de mato infectados pode ser igualmente uma fonte de contaminação. A manipulação destes animais selvagens (chimpanzés, gorilas, outros macacos, antílope de florestas, morcegos frugívoros) doentes ou mortos pode também transmitir o vírus Ébola.

Como reconhecer o Ébola: sinais e sintomas

A febre hemorrágica de vírus Ébola é uma doença viral aguda caracterizando-se muita das vezes por: Uma brusca subida da temperatura, uma fraqueza intensa, mialgias (dores nos músculos), dores de cabeça e uma irritação da garganta. Estes sintomas são seguidos:devómitos, de diarreias, de erupções cutâneas, de insuficiência renal e hepática e, em certos casos, de hemorragias internas e externas. As pessoas atingidas podem transmitir a infecção tão longo tempo quanto o seu sangue e as suas secreções conterem os vírus. Isolou-se o vírus Ébola no líquido seminal até o sexagésimo primeiro dia após o começo da doença num caso contraído no laboratório. A duração da incubação (o tempo passado entre a infecção e a aparição dos sintomas) varia de 2 a 21 dias.

Diagnosticar o vírus Ébola

O diagnóstico diferencial comporta o paludismo, a febre tifóide, a ‘’shigellose’’, a cólera, a ‘’leptospirose’’, a peste, a ‘’rickettsiose’’, a febre recorrente, a meningite, a hepatite e outras febres hemorrágicas virais.

Tratamento e vacina

Os casos graves devem ser postos em unidade de cuidados intensivos. As doenças são muitas das vezes desidratadas e devem ser postos sob perfusão ou re-hidratadas por via oral com soluções de electrólitos.
Não existe ainda nenhum tratamento nem vacina específicas para a febre hemorrágica de vírus de Ébola. Novos tratamentos medicamentosos deram resultados promissores em laboratório e estão em curso de avaliação. Várias vacinas estão em curso de experimentação mas será necessário talvez atingir ainda vários anos antes que uma de entre elas possa ser utilizada.A assumpção dos encargos repousa geralmente num tratamento sintomático.

Como Prevenir a febre Ébola?

Na ausência de tratamento eficaz e de vacina para homem, a sensibilização sobre os factores de risco e o conhecimento das medidas de protecção a tomar a título individual são o único meio de reduzir a infecção e a mortalidade no ser humano. Assim, será preciso velar para. Evitar qualquer contacto com morcegos ou macacos/primatas infectados e o consumo da sua carne crua. É preciso manipular os animais com luvas e usar vestuários protectores adaptados. Os produtos (sangue e carne) devem ser cozinhados cuidadosamente antes de ser consumidos. Evitar os contactos directos e aproximados com seres infectados, nomeadamente com os seus líquidos biológicos. É preciso evitar qualquer contacto muito próximo com os pacientes infectados pelo vírus Ébola. É necessário usar luvas e um equipamento de protecção individual adaptado quando se trata dos pacientes no domicílio. É indispensável lavar-se regularmente as mãos após ter visitado alguns parentes doentes no hospital ou após os ter tratados no domicílio. Evitar o contacto com pessoas mortas desta doença e enterrar rapidamente sem correr riscos. Evitar que as criações de porcos infectados por contacto com os morcegos não disseminem o vírus e não estejam na origem de irrupções da febre hemorrágica de vírus Ébola. Os agentes de saúde ocupam-se de casos presumidos ou confirmados de infecção de vírus Ébola devem tomar as precauções necessárias para a luta anti-infecciosa. Evitar qualquer exposição ao sangue e aos líquidos biológicos de um paciente e à qualquer contacto directo sem protecção com um ambiente susceptível de ser contaminado.

Proferir medidas de luta específicas em caso de assumpção de encargos dos casos presumidos ou confirmados e reforçar as precauções de uso, em particular as regras de base para a higiene das mãos, a utilização dos equipamentos de protecção individuais, a segurança das injecções e a segurança dos rituais funerários.

One comment

  1. Mamadu Balde disse:

    junior mamadu balde para prevenir da ebola esta dentro de um pessoa deve de ter higene dentro da nossa casa e cuidar bem da saude.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa

error: Meu amigo o conteúdo está protegido!