‟GUINES-LIGA”˸ CUNTUM VENCE BALANTAS DE MANSOA POR 1-0

O Futebol Clube de Cuntum venceu neste sábado no Estádio Lino Correia seu congénere dos “Balantas” de Mansoa por (1-0) e contabiliza a sua primeira vitória na “Guines-Liga” 2014/2015. O golo dos rapazes do técnico Mateus samba Sanhá foi apontado por intermédio de William Nancutcha (vulgo N’kolé) aos 39 minutos do jogo que contava para a 5ª jornada da primeira liga de futebol.

A partida contou com uma boa assistência dos adeptos. Num jogo que foi marcado com a exibição de quatro cartões vermelhos pela juíza da partida Leopoldina Ross Deivis: o jogador dos “Balantas”, Seco aos 16 minutos do jogo; treinador da turma nortenha, Bacari Sanhá no início da segunda parte do encontro. O atleta de Cuntum, António Djata foi expulso a dois minutos de 90 e Chi Mané da formação visitante no tempo adicional do jogo.

Cuntum marcou seu golo quando a formação dos “Balantas controlava o jogo, mesmo tendo uma unidade a menos com a expulsão de Seco. Os cuntumenses aproveitaram bem um contra-ataque e fez seu golo num lance bem pensado por N’kolé que atirou, deixando por terra guarda-redes San Bigdadi de Mansoa.

No final do jogo, o técnico de Cuntum Mateus Samba Sanhá considerou que a vitória frente aos “Balantas” é motivante para a sua equipa, que trabalhou muito ao longo da semana para o encontro com os nortenhos, indicando que a formação de Cuntum tem iniciado mal a presente época desportiva, mas garantiu que a partir daquele resultado os seus rapazes estarão mais motivados para trazer uma nova imagem da equipa a “Guines-Liga”.

Técnico dos “Balantas” Bacari Sanhá disse à imprensa que a equipa de arbitragem não teve um critério igual para as duas formações. Considerou que a equipa liderada pela juíza da partida Leopoldina Ross “cortou as pernas” aos seus rapazes, no lance da expulsão do seu jogador que, na sua opinião, houve vários outros semelhantes, mas a equipa de arbitragem não decidiu como foi o caso do atleta da turma nortenha.
Bacari Sanhá afirma que foi essa situação que depois do intervalo foi abordar a árbitro, sobre “se o cartão era só por uma equipa”. De acordo com a explicação de Sanhá, foi essa sua conversa com Ross que levou a sua expulsão do banco dos ‟Balantas” de Mansoa.

Por: Sene Camará

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *