DEPUTADOS DO MADEM-G15 E DO PRS ABANDONAM SESSÃO PARLAMENTAR

O Movimento para a Alternância Democrática (MADEM-G15), líder da oposição guineense, e do Partido da Renovação Social (PRS) abandoram a sessão parlamentar desta terça-feira, 15 de outubro de 2019. As duas formações políticas sugeriram, antes de aprovação da agenda dos trabalhos, que o segundo ponto da ordem do dia referente à questão da droga apreendida pela Polícia Judiciária no âmbito da operação “Navarra” fosse invertida. Ou seja, que subisse para primeiro ponto e o primeiro ponto, apresentação, discussão  e a eventual aprovação do programa do Governo, passasse para segundo ponto da agenda, por se tratar “de uma questão nacional”, para clarificar a situação antes de legitimar um governo cujo alguns membros poderão estar envolvidos no tráfico. 

Na sua intervenção, Nuno Gomes Nabian, líder de APU-PDGB e primeiro vice-presidente da Mesa da ANP, subscreveu a ideia do debate de urgêcia sugerida pela oposição, elegendo a questão da droga como prioritária e como tal sugeriu que fosse colocado no primeiro ponto da agenda. 

Nuno Gomes Nabian referiu que o seu partido insiste com a questão de droga, porque foi interpelado por duas vezes pela comunidade internacional em como estaria a propostar a entrada para o governo de pessoas ligadas ao tráfico de droga. O líder dos apuanos citou, neste particular, as representações diplomáticas da França e dos Estados Unidos da América na Guiné-Bissau. Depois das discussões intensas sobre a alteração ou não da agenda do dia, Cipriano Cassamá deu dez minutos para as bancadas concertarem. 

Concluída a concertação, o MADEM-G15 e o PRS incluindo dois deputados de APU-PDGB abandoram a sala antes da agenda ser sumbetida à votação. Nuno Nabian havia abandonado o parlamento logo no tempo de concertação e o único deputado dos apuanos que deixou o hemiciclo acompanhando o PRS alegou ter recebido orientações do partido para fazê-lo. A Agenda mais foi aprovada tarde por 52 deputados presentes na sala, zero contra e zero abstenções.

A sessão, que neste momento decorre na Assembeleia Nacional Popular, é a continuidade dos trabalhos iniciados a 19  de setembro. 

Em reação, momentos antes da aprovação da ordem do dia, Jorge Malú, dirigente do PRS e líder substituto da bancada parlamentar do partido elogiou a decisão do presidente da ANP de aceitar a continuidade da sessão que havia sido suspensa a 19  de setembro. Porém, lamenta o fato de o mesmo ter aceite o seguimento dos trabalhos desta sessão na data proposta pelo Primeiro-ministro, Aristides Gomes.

Por : Filomeno Sambú

Foto : Marcelo Ncanha Na Ritche

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa