Campanha Eleitoral: GABRIEL INDI EXORTA CANDIDATOS A EVITAREM USO DE DISCURSOS INCENDIÁRIOS

O Candidato do Partido Unido Social Democrático (PUSD), Gabriel Fernandes Indi, exortou na quarta-feira, 13 de novembro de 2019, os candidatos que perfilam na corrida às eleições presidenciais do próximo dia 24 do mês em curso a evitarem o uso de discursos incendiários e étnico-religiosos ou mensagens suscetíveis de provocar divisão na sociedade guineense.  

Apelo feito durante um comício popular realizado na seção de Quessete, sector de Prábis, região de Biombo no norte do país, no qual Gabriel Fernandes Indi chama ainda atenção no sentido de todos os candidatos concorrentes absterem-se de discursos enganadores, faltando à verdade ao povo através de promessas fora das suas competências.

Gabriel pediu votos aos populares de Quessete para que possa jogar sua influência junto do governo para fazer face aos problemas relatados pelos populares, particularmente problemas ligados aos sectores de saúde, educação e infraestruturas rodoviárias. Também não a falta de água potável, eletricidade, escolas do ensino secundário, más condições das estradas para escoamento dos produtos da população para a cidade e, consequentemente, influenciar na criação de condições para evacuação de doentes em estado grave e mulheres grávidas. 

Candidato suportado pelo Partido Unido Social Democrático (PUSD) considerou na vila de Quessete ser desumano as condições de vida da população guineense, sobretudo os populares do interior do país. Indi teceu ainda duras críticas à atuação da classe política dirigente do país, que acusa igualmente de transformar a Guiné-Bissau uma empresa.

“O país está a ser dirigido pelos comerciantes, não políticos”, acusa, espelhando, no entanto, que papel de um chefe de Estado não se deve resumir apenas aos interesses do grupo de cidadãos que o apoia para a manutenção ou hipotecar os destinos do país e colocar permanentemente a Guiné-Bissau na situação de ingovernabilidade em que se encontra e já dura eternidade. 

Neste sentido, promete, caso vença as presidenciais de 24 novembro, unir a sociedade guineense e promover o equilíbrio em todas as esferas sociais, religiosa, cultural e política. Ou seja, servir de símbolo de união nacional, não provocar instabilidade, exonerar ou interferir recorrentemente nas ações do governo. 

Gabriel Fernando Indi garantiu ainda jogar sua influência para que sejam reabilitadas as bolanhas e campos agrícolas, que atualmente se encontram em condições degradáveis. 

Por: Epifania Mendonça

Foto: E.M 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa