Covid-19: ALTO COMISSARIADO CONSIDERA POSITIVA A LUTA CONTRA A COVID ESTE ANO

O Secretário do Alto Comissariado para a Covid-19 (AC), Plácido Cardoso, considerou positiva a luta contra a Covid-19 este ano, apesar de não ter atingido os resultados que haviam sido definidos, que eram vacinar 50% da população alvo até o final de 2021.

Em entrevista ao jornal O Democrata, esta segunda-feira, 27 de dezembro de 2021, Plácido Cardoso disse que não atingiram a percentagem perspetivada, não por razões financeiras nem por falta de vacinas, mas por falta de adesão da população às campanhas de vacinação, devido a rumores sobre os efeitos das vacinas, particularmente em mulheres e no grupo de pessoas portadoras de doenças crónicas.

Plácido Cardoso revelou que o Alto Comissariado conseguiu ministrar vacinas em 37% da sua população alvo, mesmo assim aconselhou os cidadãos a respeitarem as recomendações das autoridades sanitárias, particularmente o uso de máscaras faciais e distanciamento físico.

Secretário do AC apelou à população a aderir à campanha de vacinação, porque a medida anunciada pelo governo de circular com o cartão de vacinação será retomada, tendo em conta a subida lenta de casos semanais da Covid-19 neste período de festas e o surgimento da nova variante Ómicron.

O médico frisou que o número de amostras analisadas reduziu devido à greve na função pública e porque também decorre neste momento uma campanha de despistagem e o estudo serológico apenas para o Setor Autónomo Bissau (SAB).

Questionado sobre o balanço da evolução do combate à covid-19 no país, o secretário da instituição responsável pela gestão da pandemia desde Junho de 2020 disse que é “bastante positiva” a resposta nacional, através de “pilares de intervenção” contra a pandemia desde março de 2020.

“Estamos satisfeitos, apesar da redução acentuada do número de testes de vigilância nas unidades de saúde nos últimos meses”, disse.

Cardoso chamou atenção à população de que ainda existe covid-19, embora exista um total de 12 casos ativos, lembrando que o mesmo tinha acontecido no ano passado (2020), quando foi registada uma descida de número de casos antes das comemorações do Natal e final do ano e em fevereiro de 2021, o número de novos subiu.

“Apelamos a toda a população que use máscaras e respeite o distanciamento físico recomendado, bem como a higienização frequente das mãos”.

Revelou que estão a ser elaboradas novas recomendações para a prevenção da doença, que deverão ser apreciadas no próximo Conselho de Ministros, para a prevenção da doença. Relativamente à existência ou não da nova variante de Covid-19, disse que há duas semanas o AC deu início ao estudo de sequenciação das amostras para saber se realmente existe a nova variante Ómicron é ou não uma realidade na Guiné-Bissau. Oficialmente no país é conhecida a existência da variante Delta sul-africana, Eta.

Os dados do boletim divulgado esta segunda-feira sobre a evolução da pandemia no país indicam que na semana passada foram registadas 10 novos casos e 10 recuperados, totalizando 6,466 casos acumulados, dos quais 6,299 recuperados, 149 óbitos por covid-19, 6 óbitos com Covid-19 e 12 ativos. Foram também analisadas 811 novas amostras e reapreciadas 10.

O estado de alerta que vigora desde 29 de outubro deverá terminar no dia 29 de janeiro de 2022, numa altura em que não foi ainda indicado novo nome de quem vai dirigir o Alto Comissariado para a Covid-19, depois da exoneração  da Magda Robalo Silva, no passado dia 21 do mês em curso.

Por: Epifânia Mendonça

Foto: E.M

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.