ESTADOS UNIDOS PEDEM FORÇAS DE SEGURANÇA A NÃO INTERFERIREM NAS ELEIÇÕES

O embaixador dos Estados Unidos de América para a Guiné-Bissau e o Senegal, Lewis Lukens disse numa conferência de imprensa esta quinta-feira, que o seu país pediu as forças de segurança guineenses à não interferirem no processo eleitoral da segunda volta das presidências que opõe o candidato do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), José Mário Vaz e o candidato independente, Nuno Gomes Nabiam. Lewis Lukens encontra-se no país para uma visita de contacto de 24 horas com as autoridades guineenses, as forças da defesa e segurança e os candidatos finalistas da segunda volta das presidenciais. O diplomata norte-americano reuniu com o Chefe de Estado de Transição, Manuel Serifo Nhamadjo, chefes militares, representante do Secretário-geral das Nações Unidas na Guiné-Bissau, José Ramos Horta e representantes da juventude guineense.Em relação ao encontro agendado com os candidatos finalistas da segunda volta, Lukens conseguiu reunir apenas com o candidato independente Nuno Gomes Nabiam. Ainda conforme o diplomata não conseguiu reunir com o candidato apoiado por PAIGC, José Mário Vaz, porque o mesmo se encontra no interior do país.O embaixador Lukens explicou que reiterou ao Presidente Nhamadjo o interesse dos Estados Unidos em ver a Guiné-Bissau concluir com êxito o regresso à ordem Constitucional. Sustentou que durante o encontro mantido com as autoridades a mensagem foi a mesma, que de acordo com ele, “é vital para o futuro da Guiné-Bissau que o país conclua a transição para um governo democraticamente eleito”.Solicitado à pronunciar-se sobre a limpeza que se verifica nas instalações da embaixada dos Estados Unidos no Bairro de Penha e se o mesmo significaria o regresso da embaixada para Bissau, Lukens respondeu que os trabalhos da limpeza que se verifica na antiga instalação da embaixada é “na base de boa vizinhança”.

Interrogado sobre a situação de contra almirante, José Américo Bubo Na Tchuto, Lewis Lukens disse que Bubo Na Tchuto está nos Estados Unidos e tem ainda muita coisa para explicar.

 

Por: Assana Sambú    

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.