PRESIDENTE SISSOCO NOMEIA NUNO GOMES NABIAM PRIMEIRO-MINISTRO

Úmaro Sissoco Embaló, empossado “simbolicamente” ontem (quinta-feira) chefe de Estado da Guiné-Bissau, nomeou no início  da noite desta sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020, o Eng. Nuno Gomes Nabiam, novo Primeiro-ministro, através do decreto presidencial n° 02/2020.

Embaló declarado vencedor do escrutínio de 29 de dezembro de 2019, pela Comissão Nacional de Eleições (CNE), justificou que a demissão do governo dirigido por Aristides Gomes, torna imperiosa a nomeação de novo chefe do governo e a subsequente formação de novo governo.

Nuno Gomes Nabiam é o atual líder da Assembleia do Povo Unido – Partido Democrata da Guiné-Bissau (APU-PDGB), que detém cinco assentos no parlamento guineense.

Nabiam, até a sua nomeação, desempenhava a função do 1° vice-presidente do Parlamento guineense. 

Três deputados do seu partido continuam a defender aliança com o PAIGC, UM e PND.
Nabiam concorreu a primeira volta das eleições presidenciais, onde figurou na terceira posição e apoiou o candidato do MADEM, Úmaro Sissoco Embaló.

QUEM É NUNO NABIAM, NOMEADO NOVO PRIMEIRO-MINISTRO

Nuno Gomes Nabiam, nasceu em Bissau no dia 17 de Novembro de 1966. De 1973 a 1978, foi membro da Organização dos Pioneiros Abel Djassi, inspirada no pensamento político de Amilcar Cabral. Em 1978, passou a ser militante da Juventude Africana Amílcar Cabral JAAC, para dois anos depois, em 1980, formalizar a sua militância no PAIGC.

Concluiu o ensino no Liceu Nacional Kwame Nkrumah e em 1986, foi contemplado com uma bolsa de estudos no domínio de Aviação Civil para a ex-União Sovietica. Concluiu a licenciatura no Instituto Superior de Engenharia de Aviação Civil, em Kiev, hoje Capital da Republica da Ucrania. Em 1994, viajou para os Estados Unidos da América, onde, entre várias outras atividades, obteve mestrado em gestão empresarial.

Foi ainda, na América, um dos fundadores e gestores da empresa Courtyard Commerciant, sediada na Cidade de Massachussetts, em Boston, nos Estados Unidos de América.

Regressado ao país, ingressou na Função Pública, tendo exercido função de Assessor do Ministro dos Transportes e Telecomunicações.

Co-fundou e foi gerente da Policlínica Bissau, Lda, um investimento no domínio da saúde. 

Em 2012, foi nomeado pelo Governo da República da Guiné-Bissau, presidente do Conselho de Administração da Agência da Aviação Civil da Guiné-Bissau. Concorreu as eleições presidenciais de 2014, como candidato independente apoiado pelo líder carismático e fundador do Partido da Renovação Social (PRS), Koumba Yalá e disputou a segunda volta com o Presidente José Mário Vaz.

Por: Assana Sambú

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.