Reunião do Conselho da Concertação Social: MINISTRO DAS FINANÇAS ANUNCIA OGE 2020 COM DÉFICIT DE 104 BILIÕES DE FCFA

O ministro das Finanças, João Alage Mamadu Fadia, anunciou que a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2020, estimado em duzentos e sessenta e dois mil e duzentos e seis milhões  (262.206.000.000 ) de fcfa, e sublinhou que o déficit orçamental será de 104 biliões de fcfa, “que o governo tentará financiá-lo através de apoios externos (empréstimos)” . 

O governante fez esse anúncio em declarações  aos jornalistas esta quarta-feira, 15 de julho de 2020, depois da posse dos novos membros do Conselho de Concertação Social, durante a qual João Alage Mamadu Fadia informou que é um orçamento que visa mobilizar grandes recursos para o setor da saúde, tendo em conta a crise sanitária provocada pelo novo Coronavírus (Covid-19).

O ministro indicou que no contexto atual de Covid-19 que assola o mundo inteiro, incluindo a Guiné-Bissau, o setor da educação terá um acréscimo orçamental de mais de 8 por cento acima de todas as suas despesas e o da saúde em mais de 10 por cento.

“Há dificuldades a nível da comercialização e da exportação da castanha de cajú, mas o governo fez um esforço e colocou à disposição dos bancos comerciais do país um valor de quinze mil milhões de francos CFA para que pudessem ter liquidez suficiente para financiar os operadores económicos”, sublinhou.

O governante lamentou, contudo, o fato de o maior problema neste momento residir no mercado internacional, que também foi atingido pela crise da Covid-19

“Infelizmente, o maior problema neste momento é o mercado internacional, os maiores importadores da nossa castanha são a Índia e o Vietname, onde muitas fábricas fecharam as portas e neste momento esses países enfrentam problemas de escoamento de amêndoas que têm estado a transformar localmente”, frisou.

O secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG), Júlio António Mendonça, disse que no encontro do Conselho de Concertação Social foram, para além da discussão da proposta do OGE, analisados alguns pontos acordados com o governo, relativamente à adenda e ao memorando de entendimento.

Júlio Mendonça avisou que a maior Central Sindical do país aguarda o cumprimento efetivo da previsão orçamental.

“Esperamos que não vão extravazar nem sair da orientação que está no orçamento”, notou o sindicalista.

Por sua vez, o presidente em exercício da Câmara de Comércio Indústria, Agricultura e Serviços (CCIAS), Mama Samba Embaló, diz esperar que o Orçamento Geral do Estado se reflita no financiamento ao setor privado para o relançamento da economia nacional.

Mama Samba Embaló alertou que as empresas da Guiné-Bissau estão em baixa e é preciso o engajamento sério do Estado para poder catapultá-las.

Salienta-se que fazem parte do Conselho de Concertação Social o Governo, o Setor Privado e os sindicatos, os parceiros sociais do governo.

Por: Filomeno Sambú/Djamila da Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa