PROJECTO FUMUKABA – LEVAR GÁS ÀS FAMÍLIAS DE BISSAU TERMINA ESTE MÊS

Ontem, dia 22 de Setembro, teve lugar em Bissau o encontro final de balanço do “Projecto de Energias domésticas sustentáveis na cidade de Bissau”, conhecido popularmente como “Fumukaba”. No encontro organizado pela União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), coordenadora do projecto, participaram representantes dos parceiros executores (Fundação GALP/Petromar e Câmara Municipal de Bissau que esteve representada pelo seu Presidente Luís Enchama) e representantes dos financiadores União Europeia e Fundação GALP.

Participaram também representantes das organizações da sociedade civil (CNV, NADEL e RENAJ) que colaboraram com os executores do projecto nas acções de sensibilização e divulgação nos bairros de Bissau durante a implementação do projecto.

No âmbito do programa do encontro foram apresentadas duas versões do filme “Fumukaba – Levar gás às famílias de Bissau”, do realizador e jornalista, Atcho Express, que mostra a importância da sensibilização feita durante o projecto e procura incentivar ao uso do gás como alternativa ao carvão e lenha.

Uma dupla de investigadores do INEP apresentou uma avaliação do impacto do uso do gás junto das famílias de Bissau, tendo realçado a importância do projecto que contribuiu para uma significativa redução do abate de árvores e para a melhoria do meio-ambiente.

Embora tenham revelado que não há um perfil concreto de compradores do gás em Bissau, acentuaram a muito boa aceitação que o projecto teve e que cerca de 80% dos inquiridos, no âmbito do projecto, que beneficiaram da distribuição de kits Fumukaba, trocavam as botijas com uma regularidade média de um mês.

O projecto Fumukaba iniciou-se em Abril de 2018 e deveria ter terminado em Março do corrente ano, mas devido às dificuldades causadas pela pandemia do COVID19 foi prolongado até final de Setembro de 2020.

O projecto foi financiado a 90% pela União Europeia e 10% pela Fundação GALP num valor total de cerca de 656 milhões de XOF.

O projecto procurava incentivar o uso de gás para a confecção de alimentos pelas famílias, como alternativa ao consumo excessivo de carvão e lenha. Para o efeito, foram disponibilizados 24.264 kits, compostos por um fogão acoplável (suporte e queimador) e uma botija de 6 quilos.

Com excepção da botija, todos os demais componentes do kit foram oferecidos. A botija foi caucionada pelos beneficiários junto da empresa de distribuição de gás a um valor de 11.500 XOF, tendo cada troca da botija de substituição um valor de 6.250 XOF.

O projecto Fumukaba insere-se no contexto do “Pacto dos Autarcas da África Sub-Saariana (PAAS)”, enquadrado na política de energia da Comissão Europeia e seu alargamento às cidades desta região, para incentivar boas práticas e capacidades de acesso a recursos energéticos limpos em comunidades urbanas e periurbanas.

O Pacto conta actualmente com mais de 100 cidades signatárias de 36 países africanos.

Não havendo certezas quanto à continuidade do projecto Fumukaba ou à possibilidade de um financiamento para um novo projecto do mesmo tipo, todos os presentes manifestaram a necessidade de serem implementadas políticas estratégicas pelo Ministério da tutela, no sentido de o gás vir a ser subsidiado o que contribuiria para a diminuição do seu preço e para a sua maior acessibilidade por parte de famílias com baixos rendimentos.

O representante da UE, Ivo Baldé, confirmou que não está prevista uma segunda fase do projecto, mas que poderá sempre haver um desenvolvimento posterior.

Segundo a opinião do representante da UCCLA, Luís Machado, partilhada também pelo representante da Fundação GALP/Petromar, Victor Carvalho, é necessário subvencionar o preço do gás e da própria caução para as tornar acessíveis às famílias mais desfavorecidas da capital, sendo que para muitas dessas famílias, a troca de uma botija, representa quase 1/10 do seu rendimento mensal.

O Secretário-Geral do município bissauense, Lente Embassa, quer que se possa também beneficiar as restantes famílias que ficaram de fora, atribuindo grande importância a este projecto.

De salientar que a utilização do gás doméstico, como energia totalmente limpa, reflecte-se, a prazo, ao nível do ambiente, da saúde e da economia.

Como ficou provado pelo trabalho realizado pelo INEP o gás é, efectivamente, mais barato e eficiente do que o carvão, mas muitas famílias têm dificuldade em comprar uma botija e recorrem, por questões financeiras, à compra de carvão em pequenas quantidades diárias, os chamados “montos”.

O projecto Fumukaba beneficiou mais de 160.000 pessoas, mas fica a esperança na restante população de Bissau – que não foi beneficiada – de que num futuro próximo haja mais Fumukaba.

O projecto Fumukaba foi premiado recentemente com um Prémio Global Energia, atribuído pela Fundação do mesmo nome, sediada na Áustria. Este prémio realça o seu carácter inovador e clara contribuição para o uso de uma energia mais amiga do ambiente.

O Projecto FUMUKABA revelado em números

  • 24.264 Kits disponibilizados às famílias. 
  • 160.000 Famílias beneficiadas.
  • 41.940 Botijas de 6kg renovadas (até Fevereiro 2020, altura em que terminaram os kits).
  • 3 Organizações da sociedade civil envolvidas (CNV, NADEL, RENAJ). 
  • 2 Rádios, em permanência, envolvidas. 
  • 130 Famílias-piloto monitorizadas durante 13 meses. 
  • 15 Animações de rua com a participação do grupo Netos do Bandim. 
  • 163 Dias de divulgação e sensibilização (incluindo distribuição de materiais) em bairros de Bissau. 
  • Mais de 700 passagens de spots em rádios, nomeadamente nas rádios Sol Mansi e Jovem. 
  • Mais de 30 entrevistas em rádios, incluindo sobre a saúde.
  •  3 Publicações em jornais e revistas.
  • 1 Peça televisiva produzida pela RTGB.
  • 20 Outdoors em vários locais da cidade e utilização da rede dos postos da Petromar. 
  • 1 Led Wall com passagem de filme promocional. 
  • 1 Música promocional (Binhan). 
  • 1 Viatura decorada, promocional de apoio às iniciativas de divulgação e sensibilização em toda a cidade de Bissau. 
  • Roll-ups, bandeirolas, faixas e lonas. 
  • Bonés e t-shirts de apoio às actividades e equipas no terreno. 
  • 1 Prémio Global de Energia (Energy Global Awards) atribuído ao projecto.

Materiais distribuídos à população: 

  • 70.000 Livrinhos ilustrados. 
  • 16.000 Desdobráveis informativos. 
  • 250.000 Autocolantes. 
  • 10.000 Lápis de carvão. 
  • 330 Aventais promocionais, dos quais metade com dizeres e logos.
  • 5.000 Sacos promocionais. 

Outros, realizações de suporte: 

  • 1 Estudo de caracterização, pelo INEP, editado. 
  • 1 Plano de acção. 
  • 1 Documento, pelo INEP, de análise ao impacto do uso do gás. 
  • 1 Filme promocional de enquadramento geral da acção. 
  • 1 Documentário sobre as iniciativas de sensibilização junto das famílias. 

Este artigo foi elaborado no âmbito do Projecto de Desenvolvimento de Energias Domésticas Sustentáveis na Cidade de Bissau (Fumukaba), com a participação financeira da União Europeia e o co-financiamento da Fundação GALP. O seu conteúdo é da responsabilidade da UCCLA e não reflecte necessariamente a opinião dos financiadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa