MINISTRA DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS DEFENDE O REFORÇO DA COOPERAÇÃO COM A RÚSSIA

A Ministra dos Negócios Estrangeiros da Cooperação Internacional e das Comunidades, Suzi Carla Barbosa, defendeu esta quarta-feira, 24 de março de 2021, a necessidade de serem reforçados os laços de cooperação com a Rússia. Segundo Suzi Barbosa, apesar da relação de parceria entre a Guiné-Bissau e a Rússia datarem de antes da independência, esta componente tem sido ultimamente esquecida e disse esperar que a presença de um alto dignitário russo represente sinal de retoma desta relação de cooperação que considerou ser “muito profícua”, tendo em conta o número de quadros guineenses formados na Rússia e daqueles que ainda continuam a beneficiar desse privilégio.

A chefe da diplomacia guineense fez essa observação depois da visita de cortesia do representante especial do Presidente da Federação da Rússia para o médio oriente e os países da África que também é o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação da Rússia, Mikhail Bogdanov, ao Presidente da República, Úmaro Sissoco Embaló e ao primeiro-ministro, Nuno Gomes Nabiam. Mikhail Bogdanov encontrou-se também com o Ministro da Defesa Nacional e dos Combatentes da Liberdade da Pátria, Sandji Fati e a Ministra dos Negócios Estrangeiros da Cooperação Internacional e das Comunidades, Suzi Carla Barbosa.

“A visita Mikhail Bogdanov enquadra-se no âmbito da realização da segunda “Cimeira Rússia África” no próximo ano”, que deverá ser realizada num país africano, “por isso o ministro está a fazer o périplo aos países africanos com intuito de recolher informações de diferentes chefes de Estado e dos governos para melhor realizar a possível Cimeira em 2022”.

Suzi Barbosa sublinhou que é preciso reforçar a cooperação com a Rússia no domínio da formação, que seja aumentado o número das bolsas de estudos para a Rússia, sobretudo nas áreas da engenharia e matemática.

“Falamos também sobre a vinda de investidores russos à Guiné-Bissau para investirem em diferentes áreas, de acordo com o programa do governo”, indicou, revelando, no entanto, a possibilidade de a Guiné-Bissau e a Rússia assinarem um memorando de entendimento para que haja trocas políticas, de acordo com os interesses de ambos os países.  

 Mikhail Bogdanov, considerou “muito frutífera” a visita à Guiné-Bissau, tendo em conta os assuntos debatidos nos encontros com as autoridades guineenses. 

O diplomata mostrou-se, por isso, disponível para fortificar os laços de ligação e de cooperação com a Guiné-Bissau, destacando a cooperação comercial, onde seu país pretende mobilizar mais investimentos de seus empresários, bem como reforçar a cooperação no domínio da educação e formação.

Em relação à pandemia da Covid-19, Mikhail Bogdanov frisou que a Rússia e a Guiné-Bissau vão tomar medidas conjuntas para combater a pandemia da Covid-19 no país.

“Nós avaliamos muito a posição da Guiné-Bissau sobre o papel da Rússia no continente Africano. Também o objetivo da nossa missão é discutir a preparação da segunda edição da Cimeira Rússia África, que terá lugar num dos países africanos e ouvir das autoridades guineenses sobre as solicitações exigidas”, sublinhou.

Por: Epifânia Mendonça

Foto: Marcelo Na Ritche

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa