PAIGC, UM E APU DENUNCIAM RECRUTAMENTO INDEVIDO DE 10 MIL POLÍCIAS

Os três partidos na oposição no parlamento da Guiné-Bissau denunciaram e condenaram hoje, 8 de julho de 2021, o recrutamento indevido de mais de 10.000 polícias para o Ministério do Interior.

A denúncia foi feita em conferência de imprensa para fazer um balanço da sessão da legislatura, que terminou segunda-feira, pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde, União para a Mudança e Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau.

Os três partidos condenaram o “recrutamento indevido de mais de 10.000 polícias no Ministério do Interior, que continuam sem nenhum vínculo contratual com o Estado”.

“Nesta mesma senda de violações das leis do país, assistimos ao titular desta pasta numa verdadeira campanha eleitoral milionária, passeando por todo o território nacional delapidando o erário público”, lê-se no balanço divulgado à imprensa.

Os partidos condenam também as “recorrentes ações violentas das forças de segurança ocorridas”, que violam todas as “regras e os direitos dos cidadãos”.

Em relação ao último caso, que ocorreu na segunda-feira em Bafatá, quando jovens foram humilhados e torturados pelas forças de segurança quando se preparavam para reivindicar o direito a luz elétrica, os três partidos exigem a demissão do comissário da polícia de Bafatá.

Os partidos alertaram também para o “aumento exorbitante dos preços de produtos de primeira necessidade” devido ao aumento de impostos e para os “subsídios milionários aos titulares de órgãos de soberania”.

LUSA

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.