FUNDAÇÃO JOÃO XXIII OFERECE CINCO MIL LIVROS A CINCO LICEUS DE BISSAU E DA REGIÃO DE OIO

A fundação João XXIII/Casa de Oeste, através da sua delegação na Guiné-Bissau, entregou esta sexta-feira, 7 de janeiro de 2022, seiscentos (600) caixas de materiais didáticos para o pré-escolar a 12º ano de escolaridade a cinco principais liceus de Bissau, incluindo da região de Oio e a Cooperativa Escolar São José.

Tratam-se dos liceus Drº Agostinho Neto, Unidade Escolar 23 de janeiro (bloco 1), Samora Moiseis Machel, Jorge Ampa Cumelerbo, Rui Barcelos da Cunha e a delegacia de educação da região de Oio. A região de Biombo também estava contemplada nesse grupo de sete unidades escolares, mas não recebeu ainda os manuais, devido aos atrasos no processo de desalfandegamento.

Os materiais foram adquiridos na sequência de uma solicitação destas escolas ao delegado da fundação no país, Raul Daniel da Silva.

O donativo comporta cinco mil (5.000) livros.

No seu discurso, o delegado residente da Função, Raul Daniel da Silva, defendeu mais leitura e apelou aos alunos que recorram aos livros, porque o mundo está a enfrentar enormes obstáculos difíceis de remover, que são as influências das redes sociais e as novas tecnologias.

Raul criticou a passividade das autoridades que gerem o setor do ensino em reagir contra as desvantagens que as redes sociais têm e disse que as mesmas “são uma perda de tempo em coisas por vezes inúteis”, que provocam falta de concentração no essencial e no necessário para as crianças em idade escolar.

“Não ocupam o tempo na leitura de livros de interesse, com conteúdos programados para o futuro, por causa da internet”, disse.

“Os nossos celulares às vezes levam-nos ao esquecimento da nossa vida real. Tornando-nos seres mais digitais do que seres humanos, ao mesmo tempo fechamos as portas às pessoas que convivem connosco no dia-a-dia, até mesmo dentro das salas de aulas e nos recintos escolares esquecemos o motivo da nossa presença na escola”, lamentou.

Aos directores, Da Silva aconselhou que façam um bom uso dos materiais por forma a motivar a fundação a continuar a apoiar, na medida do possível e da sua capacidade, com projetos sociais, contanto com a colaboração e o reconhecimento do governo da Guiné-Bissau.

Raul Daniel da Silva lamentou que o Ministério da Educação Nacional tenha se ausentado do evento, não obstante o convite que lhe foi formulado para presidir o ato.

Por: Filomeno Sambú

Foto: F.S 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.