Figura da semana: YOUNG NUNO APRESENTA EXPOSIÇÃO EM HOMENAGEM ÀS MULHERES GUINEENSES 

[SEMANA 13_2022] O jovem artista plástico guineense, Nuno Ala Tambá, apresentou no passado dia 24 de março de 2022 a sua primeira exposição em forma de arte ” Substantivo Feminino” em homenagem às mulheres guineenses.Conhecido com o nome artístico “Young Nuno”, o jovem apresentou aos guineenses e demais entidades mais de 20 quadros divididos em quatro temáticas: vida familiar e doméstica, identidade e pertencimento, atividade produtiva e económica,  lazer e afeto que carregam histórias e significados de ser mulher na Guiné-Bissau.

Nos quadros apresentados ao público, “Young Nuno” recorda  as dificuldades que as mulheres guineenses enfrentam nos respetivos bairros, em busca de pão para sustento dos filhos. É através da arte que o jovem, com o seu pincel divino, transporta-nos para o cotidiano de diferentes histórias do mundo feminino,  conforme o lugar da mulher, estimulando e dando um significado único a cada quadro. 

Cada pincelada do autor conta uma história singular e tão plural quanto as mulheres que conhecemos, as mulheres que, na verdade, são!

BIOGRAFIA

Nuno Ala Tambá nasceu a 6 de abril de 1991, em Bissau, no bairro de Plubá. Fez a primária na escola privada Binhacra e concluiu a quarta classe na escola São Francisco de Assis, ambas em Bissau. Young Nuno concluiu  a 11ª classe no liceu Agostinho Neto. Antes de abraçar a carreira de artista, iniciara a formação em Gestão e Contabilidade na Universidade Colinas de Boé, em Bissau, mas acabou por abandonar o curso por razões financeiras.

Com apenas 5 anos de idade já desenhava, tendo como admiradores os gémeos Manuel Júlio e Fernando Júlio, de quem copiava as bandas desenhadas que eram levadas para casa pelo seu falecido pai, era um ex-funcionário da Mavegro, onde vendia as bandas desenhadas.

Mais tarde, nos 2000, começou a apreender a desenhar com outro artista de nome Botodjo, outra das suas referências. Em 2018, conheceu uma artista plástico guineense residente em Dakar, Senegal, Malam Camará, com quem passou uma temporada para adquirir mais conhecimento na pintura artística, tendo igualmente beneficiado das orientações de Alfa Umaro Bá. 

Em 2018 venceu o prémio jovem artista plástico. Um ano depois,  conheceu em Bissau, um artista brasileiro da arte urbana, Cazé,  com quem trabalhou como assistente, no âmbito da pintura do mural de Amílcar Cabral. O jovem artista plástico guineense lidera o grupo “Galeria Jovem”, que  desencadeou em setembro de 2020 uma ação, através de arte urbana, pintando murais de algumas figuras públicas, com a finalidade de recuperar a memória e os legados dos heróis da luta pela independência da Guiné-Bissau.

Por: Alison Cabral 

Author: O DEMOCRATA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.