8ª Cimeira da TICAD: LIBÉRIA LAMENTA AUSÊNCIA DE MARROCOS E APELA À SUSPENSÃO DA CONFERÊNCIA

O governo da Libéria lamentou este sábado, 27 de agosto de 2022, a ausência de Marrocos na 8ª Conferência Internacional de Tóquio sobre o Desenvolvimento Africano (TICAD 8), tendo apelado à suspensão da sessão até que sejam resolvidos os problemas relativos aos procedimentos, concernente ao convite unilateral da entidade separatista do “polisario” para o evento.

“A Libéria lamenta a ausência de Marrocos na TICAD-8. Estamos surpreendidos pela presença imposta de uma delegação (NDRL polisario) em violação dos procedimentos da TICAD”, disse o ministro liberiano dos Negócios Estrangeiros, Dee-Maxwell Saah Kemayah, durante a sua intervenção na abertura da conferência, na qual apelou ao respeito dos procedimentos e regras de convite estabelecidos no âmbito desta Cimeira.

O Reino do Marrocos decidiu não participar na 8ª Conferência de TICAD, realizada em Túnis, tendo apelado, com caráter de urgência, ao seu Embaixador, em Túnis, para uma consulta, devido à atitude do governo tunisino, no âmbito do processo do Fórum de Cooperação Japão-África que, segundo o governo marroquino, confirma “descaradamente a sua hostilidade para com o Reino de Marrocos”. 

O ministro liberiano dos negócios estrangeiros sublinhou na sua intervenção a importância de respeitar as regras e procedimentos relativos ao convite de pessoas e delegações, estabelecidos em conjunto com o Japão, apelando ao cumprimento das decisões da União Africana no que concerne ao formato de participação nas reuniões de parceria.

A posição do governo liberiano reforça as posições tomadas por outros Estados africanos, que também denunciaram o convite unilateral da Tunísia à “entidade separatista” contra o conselho do Japão, violando o processo de preparação e das regras estabelecidas.

Neste sentido, o Presidente da Guiné-Bissau e o Presidente em exercício da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Umaro Sissoco Embaló, deixou a conferência para protestar contra a participação do “polisario”.

O Presidente do Senegal e igualmente da União Africana, Macky Sall, lamentou, por seu lado, que a TICAD tenha sido marcada pela ausência de Marrocos.

“O Senegal lamenta que esta reunião do Ticad seja marcada pela ausência de Marrocos, um eminente membro da União Africana, por falta de consenso sobre uma questão de representação”, disse o chefe de Estado senegalês na abertura da conferência. Contudo, mostrou-se esperançado em ver que esse problema “encontre uma solução duradoura no futuro para o bom funcionamento de nossa organização e nossa parceria em um ambiente sereno e pacífico”.

O porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Africana e Marroquinos que Vivem no Estrangeiro, disse hoje que o comunicado de imprensa publicado ontem (sexta-feira) à noite pelo ministério dos Negócios Estrangeiros da Tunísia, numa tentativa de justificar o ato a “posteriori hostil” e “profundamente hostil” aos tunisinos respeitosos, no que diz respeito à Primeira Causa Nacional e aos interesses superiores do Reino de Marrocos, “contém muitas aproximações das inverdades”.

“As regras da União Africana e o seu quadro, que Marrocos respeita integralmente, não se aplicam neste caso”, refere o porta-voz.

Sobre o convite à entidade separatista para a TICAD-8, o porta-voz do ministério marroquino dos negócios estrangeiros explicou que foi acordado desde o início e com o conhecimento e consentimento da Tunísia, que apenas países é que deveriam participar do encontro. Acrescentou que receberam o convite co-assinado pelo Primeiro-ministro japonês e pelo presidente tunisino.

Por: Redação, PR

Foto & Nota verbal: Embaixada de Marrocos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.