Conselheiro de JOMAV: “GUINÉ-BISSAU POSSUI ENORME DIVERSIDADE DE ECOSSISTEMAS FLORESTAS TROPICAIS E MANGAIS”

O Conselheiro do Presidente da República para a Área da Juventude, Dito Max, afirmou este domingo, 14 de abril de 2019, que a Guiné-Bissau possui uma enorme diversidade de ecossistemas que vão desde as densas florestas tropicais aos pântanos de mangais, razão pela qual, em 1996 o Arquipélago dos Bijagós, tesouro sagrado do país, foi classificado como reserva de biosfera pela UNESCO.

Dito Max falava em representação do Chefe de Estado Guineense, José Mário Vaz, na cerimônia de abertura do V Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa mais Galiza, realizada na Guiné-Bissau, concretamente na ilha de Bubaque, região de Bolama Bijagós, sul do país, dos dias 14 a 18 do mês em curso, sob o lema “Crise Ecológica e Migração: Leituras e Respostas da Educação Ambiental”, que juntou 450 delegados de diferentes países. 

Na ocasião, Max disse que vivemos numa época de crises ecológicas caraterizada por impactos ambientais intensos que agridem os ecossistemas nacionais, continentais e planetários. Dito Max exortou o governo da Guiné-Bissau a prosseguir com a elaboração e implementação de uma política nacional de gestão especial que se consubstancia em ações de ordenamento do território e da proteção das zonas húmidas que são de interesse ambiental.

A Secretária do Ambiente e Desenvolvimento Durável, Quité Djata, informou que o congresso internacional da educação ambiental decorria num momento particular, devido às alterações climáticas e seus efeitos nefastos que estão a contribuir para a degradação  do ativo ambiental o que requer uma participação ativa e concertada de todos os atores como forma de assegurar a implementação de ações conducentes à proteção da vida e do planeta terra.

Por seu lado, o Presidente da ASPEA, em Representação da REDELUSO, Joaquim Ramos Pinto, assegurou que o V Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa mais Galiza que  foi uma caminhada para a conquista, sendo preciso juntar a biodiversidade com a diversidade cultural para fazer crescer a organização. Alertou os estados membros a não deixar de fora a camada juvenil na tomada das decisões políticas do país. 

O Diretor Geral do Instituto da Biodiversidade das Áreas Protegidas, Justino Biai, disse que os 42.480 hectares de mangais do arquipélago abrigam uma alta densidade manafim africano bem como uma população original de hipopótamos marinhos, crocodilos e as praias acolhem cinco espécies de Tartarugas marinhas durante o período de nidificação, incluindo uma das três maiores colônias de tartarugas verdes do mundo.

Adiantou que o Ilhéu de Poilão, parte integrante do parque nacional marinho, é classificado como sítio de maior concentração e consequentemente o mais importante da desova das tartarugas verdes.

O Presidente da REDELUSO da Guiné-Bissau e Coordenador Geral Comissão Organizadora do V Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa mais Galiza agradeceu a todos  os países que participaram no congresso e os que o apoiaram para que o evento se torna numa realidade na Guiné-Bissau.

Por último, o Governador da Região de Bolama Bijagós, Dionísio Gomes, sublinhou que os populares que vivem naquela região sul do país revelaram nos últimos tempos as suas capacidades de bons gestores dos recursos que a natureza colocou a sua disposição, ajudando assim para que as ilhas de Bolama e Bijagós se tornem numa das mais importantes reservas da biodiversidade da Guiné-Bissau.

Por: Aguinaldo Ampa

Foto: A.A            

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa