Partidos da maioria parlamentar: COMISSÃO ORGANIZADORA GARANTE CONTINUAR COM MARCHAS ATÉ NOMEAÇÃO DE PRIMEIRO-MINISTRO

O Presidente da Comissão Organizadora da marcha pacífica promovida pelos partidos políticos que constituem a atual maioria no parlamento guineense, Ussumane Camará, assegurou esta terça-feira, 14 de maio de 2019, que vão continuar a mobilizar atenção do cidadão comum para exigir a nomeação de novo Primeiro-ministro.

Em declaração a jornalistas, Ussumane Camará, rosto da inciativa política, confessa que, perante a             “violação” dos direitos constitucionais dos guineenses, o imbróglio na ANP e perseguição política, era de esperar que a marcha tivesse adesão que teve. Neste sentido, reitera a sua determinação, avisando que esse sentimento de revolta demostrada vai continuar até que o Presidente da República, José Mário Vaz, nomeie o novo chefe de governo.

“Enquanto jovens estamos determinados em fazer o uso do nosso direito constitucional sem violência para fazer valer as nossas exigências, a nomeação de Primeiro-ministro a ser indicado pelo partido vencedor das últimas eleições legislativas”, reforçou, indicando, contudo, que a marcha desta terça-feira é apenas o primeiro passo de aquecimento de tantas outras inciativas políticas que poderá culminar com sucessivas vigílias e greves de fome.

Lembra, no entanto, na sua declaração que o país está há mais de dois meses depois do escrutínio de março, mas o Presidente da República continua a não ter noção dos danos que está a causar aos cidadãos e nunca se preocupou com as sucessivas paralisações na função pública e a campanha de comercialização da castanha de caju que está em risco.

“São situações sociais que podiam fazer o José Mário Vaz reconsiderar a sua posição, mas ele só se preocupa com os seus aliados políticos”, notou para de seguida repudiar o que chama “regime ditatorial”.       

Defende neste sentido que o impasse na composição da mesa da ANP seja resolvido na Assembleia, não fora dela. E aconselha ao Presidente da República a abster-se de alegações que não ajudem em nada ou condicionar a nomeação do Primeiro-ministro com a composição da mesa da ANP.

Por: Redação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa