Diretor-geral do artesanato: “GUINÉ-BISSAU NÃO POSSUI CÂMARA NACIONAL DE ARTE E OFÍCIOS”

O diretor-geral do artesanato, Maurício Mendes, revelou esta quarta-feira, 29 de julho de 2020, que a Guiné-Bissau não tem nenhuma Câmara Nacional de Arte e Ofícios, devido aos vários constrangimentos   sociopolíticos que o país vem enfrentando nos últimos anos.

Mendes falava depois do enceramento da conferência virtual de seguimento de Câmaras Nacionais de Arte e Ofícios dos Estados membros da União Económica e Monetária Oeste Africana (UEMOA).

A conferência decorreu na sede da organização, em Bissau, de 27 a 29 de julho de 2020 sob o tema: “quais são as estratégias para melhorar o acesso dos artesões e empresas artesanais aos serviços financeiros e à formação profissional” e nela participaram quatro representantes de cada Estado membro.  

Aos jornalistas, o diretor-geral do artesanato frisou que foram abordados, entre outros temas, o acesso ao financiamento: condição necessária, mas não suficiente para o desenvolvimento dos artesões das empresas artesanais e em que condições as câmaras nacionais de artes e ofícios constituem um quadro institucional pertinente para facilitar o acesso das empresas artesanais aos serviços de apoio financeiro e à formação profissional.  

Maurício Mendes indicou que, apesar de a Câmara de Arte e Ofícios não ter sido criada ainda no país, existe um conjunto de documentos que teriam sido submetidos para aprovação em Conselho de Ministros, em 2017, documentos que viabilizariam a sua criação e, consequentemente, contribuiriam para o desenvolvimento do setor do artesanato.

Maurício Mendes destacou que estão em curso diligências junto da primatura para acelerar o processo de diplomas pendentes, para que possam ter suporte legal que garantam a atuação do setor e assegurou que o atual secretário de Estado de Turismo e Artesanato “está engajado fortemente na promoção e desenvolvimento do setor”.

“A partilha dos temas apresentados ao longo dos três dias da reunião (conferência virtual), foi um enorme desafio para a Guiné-Bissau, demostrando o quanto o país está atrasado em matéria da criação da Câmara Nacional de Artes e Ofícios e das Antenas Regionais”, assinalou.

Por: Carolina Djemé

Fotos: C.D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa