Editorial: SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, IMAGEM REAL DE UM ESTADO MORIBUNDO!!!

A descrença no sistema judicial nacional é um dado conhecido há muito tempo por todos os cidadãos. O último episódio vem apenas confirmar o grau de ambiguidade e promiscuidade que assolam o aparelho judiciário guineense. Com a viragem a 360 graus, os juízes do Supremo Tribunal de Justiça  demonstraram claramente falta de postura em honrar o seu juramento. Tudo menos justiça! 

Ao longo da crise pós eleitoral, o STJ produziu vários acórdãos, incluindo uma aclaração e um despacho, nos quais ordena à Comissão Nacional de Eleições a proceder ao apuramento nacional dos resultados eleitorais que não terá sido feito pela CNE em conformidade com a lei, exigência essa que o próprio Supremo de ambiguidades confirmara no penúltimo acórdão. 

Afirmar o contrário hoje, nove meses depois da “lenga-lenga”, é um autêntico insulto à consciência dos que se revêem no sistema democrático e comungam os valores da legalidade. É uma aberração sem precedente e um autêntico certidão de mentiras a todo o povo guineense. 

Das duas uma, ou o STJ andou todo esse tempo a enganar a opinião pública com acórdãos em forma de panfletos ou sentindo-se ameaçado, coagido, decidiu operar uma viragem robótica mediante um jogo de palavras vazias. Um dos candidatos agora na Presidência da República insultou em diversas ocasiões os juízes e acusou -os de corrupção. Como qualificar esses ataques hoje? Como podem os juízes justificar tamanha contradição pintada de incoerências sem adjetivos? 

A reação passiva dos cidadãos perante o último acórdão é prova em como ninguém acredita neste sistema de justiça caduco, apesar da obrigatoriedade de obediência às decisões da Corte suprema, hoje esvaziada da toda supremacia.  À imagem deste Estado moribundo, a justiça está totalmente aniquilada pelos vírus de politiquice, mesquinhez, corrupção, promiscuidade. Nem a retórica, nem a arte de escrever acórdãos dúbios conseguem esconder tamanho descalabro em que se encontra o sistema judicial neste país. A realidade é mesmo de uma patologia crónica favorecida por um militantismo político interesseiro despido de quaisquer valores éticos e morais. 

Por isso, os juízes não são os únicos culpados do descrédito da justiça. Os partidos políticos e seus seguidores cegos (como cordeiros) são excelentes agentes de promoção de uma justiça moldada aos seus interesses. Os que hoje aplaudem sem entusiasmo a decisão do STJ foram os mesmos que defenderam a supressão total deste em nome dos seus simples interesses. Alguns mesmo sugeriram a prisão dos juízes. A incoerência do político guineense é um cancro que afeta agora quase toda sociedade. Para os que acreditam no primado da lei, a última decisão deve ser respeitada apesar das suas flagrantes incoerências! Caberá ao tempo julgar e colocar cada um na prisão da sua própria consciência e autoestrada do seu desleixo!

Doentia a justiça, moribundo o Estado, ambos são faces da mesma moeda! Esta realidade não mudará com simples cosméticos. É preciso um choque terapêutico para inverter a pirâmide!!!


Por: Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa