Eleição da FFGB: COMISSÃO ELEITORAL READMITE A CANDIDATURA DE CAÍTO TEIXEIRA E MANTÉM A DATA DE ELEIÇÃO

A Comissão Eleitoral do Congresso da Federação de Futebol da Guiné-Bissau (FFGB) readmitiu a candidatura de Carlos Teixeira (Caíto), que tinha desistido a favor do presidente cessante da FFGB, Manuel Irénio Nascimento Lopes, a quem agora foi vedado o direito de concorrer, pela Federação Internacional de Futebol (FIFA). A comissão confirmou também a data para aeleição da liderança da FFGB para 30 de setembro em curso.

A informação consta do mapa de atualização de candidatos da Comissão a que o semanário O Democrata teve acesso esta terça-feira, 15 de setembro de 2020, no qual não se avança nenhum pormenor sobre as razões da readmissão da candidatura de Caíto Teixeira.

Segundo informação disponível, a decisão de validação da candidatura do dirigente desportivo foi tomada por quatro dos cinco elementos que integram a Comissão Eleitoral, nomeadamente, Lino Lopes, presidente; Faustino Paulo Mango, vice-presidente; Herculano Cubaba, secretário e Hedmer Lopes de Barros Djaló, segundo vogal.

Confrontado com a situação, o primeiro vogal da comissão, Abdu Mané, confirma que não foi informado da reunião, na qual a candidatura de Caíto Teixeira foi novamente aprovada.

“Começo por esclarecer que eu não soube nada sobre esta matéria, porque não fui informado de forma oficial para tomar parte na reunião da Comissão Eleitoral, mas prometo falar do assunto nos próximos dias, para esclarecer todos os equívocos aos guineenses e o que está a acontecer dentro da nossa estrutura”, explicou Mané em conversa telefónica com jornal O Democrata.

Mané entrou em rota de colisão com os restantes membros da comissão desde o passado dia 08 de agosto, quando decidiu presidir o ato eleitoral da FFGB, onde o empresário guineense, Fernando Tavares, foi sido declarado presidente eleito do órgão, num processo que viria a ser considerado “ilegal” pela FIFA, que alega “violação dos estatutos do organismo”.

O Democrata soube ainda que, para além da readmissão da candidatura de Caíto Teixeira, a outra questão em debate neste momento é o local onde vai decorrer o Congresso Eleitoral. A comissão eleitoral anunciou recentemente que o ato teria lugar na sala de reuniões da FFGB.

No passado dia 25 de julho o Alto-Comissariado de Luta Contra a Civid-19 havia advertido a comissão sobre a exiguidade da sala, que tem capacidade máxima para 28 pessoas. 

Nesta segunda-feira, 14 de setembro, o coletivo dos cinco candidatos à liderança do organismo que gere o futebol nacional reuniu-se com a Comissão Eleitoral, com propósito de revogar a decisão de realizar o congresso na sede da FFGB, no alto de Bandim, em Bissau. informações apuradas pelo nosso jornal junto de uma fonte do Coletivo dos candidatos à liderança da federação, indicam que o encontro terá terminado inconclusivo, porque não terão recebido nenhuma garantia neste sentido.

Além de Caíto Teixeira, estão na corrida à liderança da FFGB mais cinco candidatos, nomeadamente: o Fernando Tavares, o Paulo Mendonça, o António Patrocínio, o Benelívio Cabral Nancassa Insali e o Mutaro Bari. O substituto do presidente cessante do órgão será conhecido no Congresso Extraordinário eletivo da FFGB agendado para o dia 30 do mês em curso.

O Democrata tentou, sem sucesso, obter a reação da Comissão Eleitoral sobre a razão de encerramento da reunião sem nenhuma conclusão.

A Guiné-Bissau vive uma situação bastante complexa no que concerne à transição de poder na Federação do Futebol. A cíclica crise política reinante no país parece atingir também, com gravidade a FFGB, que está debaixo de fogo cruzado devido à polémica instalada com a marcação da eleição.


Por: Alison Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa