NAMBEIA REVELA QUE DIRIGENTES DO PRS ESTÃO A SER “PESCADOS” E PEDE COESÃO NO PARTIDO

O líder do Partido da Renovação Social (PRS), Alberto Nambeia, revelou que dirigentes daquela formação política estão a ser “mobilizados fortemente”.
Sem avançar mais pormenores sobre quem estaria a “pescar” os dirigentes dos renovadores, apelou à coesão no partido e à  remobilização daqueles que deixaram o partido e àqueles que estão a mobilizar os elementos do seu partido que parem. “Voltem ao partido, porque tenho a certeza que nas próximas eleições sairemos vencedores”.

Nambeia fez estas revelações na cerimónia de abertura da semana “Académica de Formação Política e Ideológica – Dr. Koumba Yalá”, que decorre de 27 a 03 de Abril de 2021.

A abertura da primeira semana Académica do PRS decorreu numa das unidades hoteleiras de Bissau e contou com a presença de Presidente da República, Úmaro Sissoco Embaló, bem como do presidente da Juventude Social Democrata (JSD) do Partido Social Democrata de Portugal e deputado na Assembleia da República, Alexandre Poço, da representante da Juventude para Democracia (JPD) do Movimento para a Democracia (MPD) de Cabo Verde, Janice Ribeiro Lopes e do representante das organizações juvenis do PAIGC, MADEM – G 15 e da APU – PDGB.

De acordo com os organizadores, a semana académica vai ser transformada em curso de política da comunicação e da ideologia ministrado por especialistas e destinado a jovens e vai ter uma duração de sete dias. A semana académica é um curso de 36 horas de formação, 14 aulas, cinco conferências e 13 workshop e conta com a participação de 26 formadores.

Serão abordados os seguintes temas: a economia, da fiscalidade, dos sistemas do ensino e da saúde, do pan-africanismo, da renascença africana, do empoderamento da mulher, da história política da Guiné-Bissau, das reformas do Estado e entre outros.   

Presidindo a cerimónia de abertura do evento, o líder do PRS, Alberto Nambeia, disse que “hoje em dia, o sucesso de qualquer caminhada exige o conhecimento da rota a percorrer e da meta que se pretende atingir bem como dos objetivos desejados, por isso “o futuro do nosso partido e do país dependerão de ferramentas importantes que sairão de diferentes temáticas administradas durantes estes dias sobre a ideologia do partido”.

“Esta academia de formação política que decorre sob o lema: Inspirar em Koumba Yalá, construindo as capacidades para a transformação sócio económica da Guiné-Bissau. É uma iniciativa bastante inovadora que a juventude trouxe ao partido, não só na perspetiva de criação do mecanismo estruturado de preparação de quadros jovens, mas também de imortalização dos pensamentos políticos e filosóficos daquele que foi a pedra angular na criação e afirmação do PRS junto da sociedade guineense, Dr. Koumba Yalá, líder carismático, percursor da democracia nacional e símbolo da defesa dos mais desfavorecidos e da inclusão social”, assegurou.

Para o presidente da Juventude da Renovação Social (JRS), Fernando Dias, a juventude renovadora deve ter a confiança no futuro, tendo lembrado que o líder do partido afirmou em várias ocasiões que o PRS é um partido de soluções para a juventude, razão pela qual o partido aposta na formação, emprego e na promoção da juventude.

“Sejam convictos e fiéis aos ideias do partido, porque só assim serão respeitados, assim evitam conndutas nefastas e que não dignificam a nossa nobre camada. Façam prevalecer nas nossas convivências com a juventude de outras formações políticas, a cultura do diálogo, tolerância e de não violência, para que possamos alcançar em conjunto a unidade nacional e a coesão social”, referiu.

Por seu turno, o presidente da JSD, Alexandre Poço, disse na sua intervenção que a formação é essencial para tudo que se quer fazer na vida, tendo frisado que “ninguém pode ser um bom político, um bom gestor de administração pública, um bom gestor dos recursos que são de todos se não tiver a formação política, ideológica, ética, programática e dos princípios que devem nortear a administração pública e a governação do interesse de todos”.

“É neste espírito que a formação dos jovens é fundamental, porque significa uma escolha no futuro. Nós somos o futuro dos nossos países. Não queremos muitas vezes ouvir falar no passado, mas queremos é no presente ter mecanismos e as ferramentas para construir um futuro melhor. Um futuro do desenvolvimento, progresso e da justiça social”, contou.


Por: Assana Sambú

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa