MÉDICOS MARROQUINOS EFETUAM DIAGNÓSTICOS COM “SCANNER” A 500 PACIENTES

Médicos marroquinos que se encontram no país efetuaram esta quarta-feira, 07 de abril de 2021, diagnósticos gratuitos com “Scanner” nos serviços do Hospital Nacional Simão Mendes. Os médicos vão atender diariamente 50 pacientes. 

O serviço de Scanner é um diagnóstico por imagem, sendo uma especialidade médica que se ocupa do uso das tecnologias de imagens mais avançadas.

Após abertura dos trabalhos, o Presidente da República, Úmaro Sissoco Embalo, esclareceu que o aparelho de diagnóstico foi adquirido no âmbito do programa do chefe de Estado para o setor de saúde. Na sua declaração Sissoco Embaló disse que é  uma vergonha a capital Bissau não possuir uma máquina de diagnóstico.  

Umaro  Sissoco Embaló anunciou que no quadro do seu programa ligado ao setor de saúde para população, brevemente a Guiné-Bissau terá uma máquina de “Hemodiálise” que realiza a filtragem desubstâncias indesejáveis do sangue.

“São estratégias de trazer competências para Guiné-Bissau, estamos a falar com o governo da Nigéria no sentido de enviar 100 médicos especialistas para Guiné-Bissau e apesar da crise sanitária da covid-19, o executivo de Nigéria está disponível em mandar técnicos”, sublinhou.

Por sua vez, o Ministro de Saúde Pública, António Deuna, assegurou que o objetivo da vinda dos médicos marroquinos à Guiné-Bissau é no âmbito da ajuda humanitária ao povo guineense “que tanto precisa deste tipo de exames”. Explicou que o exame faz parte de serviços da medicina denominados imagiologia, onde estão incluídos Scanner e radiologia simples.

António Deuna considerou “anormal” em pleno século (XXI) a Guiné-Bissau não possuir esse tipo de serviço, sublinhando que tendo em conta as necessidades do país, “o governo liderado por Nuno Gomes Nabian redobrará esforços no sentido de fazer algo de bom para a Guiné-Bissau”.

O titular da pasta da Saúde Pública anunciou igualmente que até dezembro próximo será montado um serviço ou equipamento de diagnóstico de scanner na Guiné-Bissau com todas as componentes precisas, desde técnicos que serão instalados no país para consequentemente, capacitar técnicos nacionais para estarem à altura de continuar o processo de diagnóstico.             

Por: Carolina Djemé

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa