SISSOCO AFIRMA QUE PREFERE “MARTELAR” MADEM PELA ESTABILIDADE DA GOVERNAÇÃO

O Presidente da República, Umaro Sissoco Embaló, afirmou que preferiu “martelar” o Movimento para a Alternância Democrática (MADEM-G15) em nome da estabilidade da governação na Guiné-Bissau. Referindo-se a exonerações de mais elementos do seu partido, o Chefe de Estado fez estas afirmações esta segunda-feira, 26 de abril de 2021, durante a cerimónia de posse de novos membros do governo liderado por Nuno Gomes Nabian, nomeados por decreto nº29/2021 de 24 de abril.  

A cerimónia decorreu no Palácio da República e contou com a participação do Chefe do Governo, Nuno Gomes Nabiam e altos funcionários da Presidência da República. Das 13 nomeações, onze tomaram posse, nomeadamente, a ministra de Estado dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Internacional e das Comunidades, Suzi Carla Barbosa; o ministro de Estado dos Recursos Naturais e Energia, Orlando Viegas; o ministro de Estado do Interior e da Ordem Pública, Botché Candé; o ministro de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Marciano Silva Barbeiro; o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Iaia Djaló; o ministro do Turismo, Artesanato e Porta-voz do Governo, Fernando Vaz; ministro da Comunicação Social, Fernando Mendonça, o ministro dos Transportes e Comunicações, Augusto Gomes.

Estiveram presentes o ministro do Comércio e Indústria, Tcherno Djaló; o ministro da Educação Nacional e Ensino Superior, Cirilo Mama Saliu Djaló e o ministro da Administração Pública, Trabalho, Emprego e Segurança Social, Tumane Baldé. Registou-se a ausência de dois novos membros do governo: ministro da Saúde Pública, Dionísio Cumba e Secretária de Estado das Comunidades, Salomé Santos Allouche.

A nova orgânica do governo conta com 20 ministérios e 11 Secretarias de Estado. 

Presidindo à cerimónia, o Chefe de Estado, Umaro Sissoco Embaló, justificou na sua comunicação que optou pela remodelação tendo em conta a necessidade de imprimir maior ação, porque “o governo deve estar à altura das expetativas da população, garantindo uma boa comercialização da castanha de caju, dado a sua contribuição na economia nacional e na satisfação das necessidades básicas da população”.

“Havia a necessidade de fazer a remodelação, que visa imprimir mais ações do governo e consolidar as instituições do Estado”, realçou.

Aos recém empossados, pediu mais dinâmica, mas advertiu que “o bem público tem que ser administrado para o bem comum”. Pediu aos partidos políticos a darem mais oportunidades às mulheres com capacidades.

Questionado sobre o número de pastas ocupadas nesta remodelação pelo partido que suportou a sua candidatura presidencial, Embaló respondeu que preferiu martelar o MADEM pela estabilidade da governação.

“Enquanto for Presidente da República, não haverá nenhuma outra nova maioria, além da que sustenta o governo dirigido por Nuno Gomes Nabiam”.

Por: Epifânia Mendonça

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.