GOVERNO E BANCO BADEA ASSINAM ACORDO PARA CONSTRUÇÃO DE DUAS DAS ESTRADAS DE BISSAU

O Governo da Guiné-Bissau e o Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico em África (BADEA) assinaram esta quinta-feira, 29 de abril de 2021, um memorando “Aide-memoire”  para financiar a construção  de duas  estradas da cidade de Bissau: cintura sul de Bissau e Bissau-Nhacra, norte do país.

O documento que suporta o acordo foi assinado pelo ministro das Finanças, João Alage Mamadu Fadia, e por Mounir Benseddik, chefe da delegação do BADEA, que se encontra em Bissau, desde 23 de abril em curso, para discutir com as autoridades nacionais aspetos ligados ao financiamento das infraestruturas rodoviárias.

O custo total do projeto é estimado em 48.6 milhões de dólares americanos, cuja parte substancial será assumida pelo BADEA (43 milhões) e o governo guineense financia os restantes 5.6 milhões de dólares.

O acordo prevê a construção da estrada que liga a “cintura sul de Bissau”, numa extensão de 12.9 quilómetros, do cruzamento de Guimetal, atravessando os distritos meridionais de Cuntum Madina e terminará na zona portuária, na Avenida 3 de Agosto.

O financiamento contempla também a construção da estrada que liga Bissau-Nhacra, numa extensão de 14.1 Km, com início  no cruzamento do Bairro dos Antigos Combatentes da Liberdade da Pátria, em Antula, e termina no centro de Nhacra, a norte do país,  incluindo a construção da ponte de Nhoma, também norte da Guiné-Bissau.

Na sua declaração aos jornalistas, depois da assinatura do acordo, Mamadu Fadia, ministro das Finanças esclareceu que a missão do BADEA está no país para fixar o montante necessário para o financiamento das duas estradas. Segundo Fadia, o BADEA deverá financiar mais de 80% do montante global e a Guiné-Bissau pouco mais de 10% e a taxa de juros varia entre 1.5% e 2%.

“O financiamento já foi conseguido e o processo vai continuar. O conselho de administração do BADEA reunir-se-á para aprovar o financiamento”, assegurou Fadia.   

Por sua vez, o chefe da delegação do Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico em África (BADEA), Mounir Benseddik, explicou que a delegação está no país para avaliar as áreas das infraestruturas rodoviárias que fazem parte do programa urgente e prioritário do Governo da Guiné-Bissau. Acrescentou que a primeira etapa será a melhoria e alcatroamento do troço da zona sul da capital Bissau, numa distância de três quilómetros.

“A segunda etapa trata-se da construção da estrada que vai dos Prédios dos Combatentes (Antula), em Bissau, até à cidade de Nhacra. Esta secção é muito importante, porque se trata de uma outra saída da capital Bissau e permitirá desencravar a única saída que a capital dispõe que, se calhar, está muito saturada”, enfatizou para de seguida, agradeceu às autoridades guineenses pelo acolhimento caloroso que lhes foram reservados.

Realçou igualmente a colaboração dos técnicos do ministério das obras públicas que forneceram à delegação documentos necessários e que permitiu fazer  uma  avaliação dos dois  projetos.       

O financiamento do BADEA constitui um empréstimo concessional. O início do projeto está previsto para outubro de 2021, as obras de construção começam em maio de 2022, por uma duração de quase dois anos e meio.   

Por: Filomeno Sambú

Foto: F.S

One comment

  1. Mbom gos k bai Patche Yala pa ba busca nova maioria na sedu mas facil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa