CIPRIANO CASSAMÁ CONSIDERA “TRISTES E LAMENTÁVEIS” OS CONFRONTOS FÍSICOS E VERBAIS ENTRE DEPUTADOS

O Presidente da Assembleia Nacional Popular (ANP), Cipriano Cassamá, considerou “tristes, lamentáveis  e indignos” de um Parlamento os confrontos físicos e verbais registados na, quinta- feira, 03 de Junho de 2021, na Assembleia Nacional Popular.

Em mensagem enviada aos deputados da nação na página oficial da ANP no fecebook, Cipriano Cassamá disse que não é “razoável” que, num momento em que o país e os guineenses esperam dos “seus legítimos” representantes uma postura com elevado sentido de Estado, sobretudo quando o país está confrontado com uma crise social de enormes proporções, com aumento do custo de vida, paralisação nos setores chaves do desenvolvimento (saúde e educação), greves ininterruptas decretadas pela Central Sindical e tantas outras situações candentes por resolver, que estejam a comportar-se daquela maneira, adiantando que deveriam transmitir um sinal de confiança, de esperança  e trabalharem no sentido de, junto do governo, aligeirarem o sacrifício que o povo guineense tem consentido.

Para Cassamá, os deputados deveriam estar preocupados com os acontecimentos  de ontem, desafiou-os a apresentar um pedido de desculpas ao povo guineense.

Lê-se na mensagem que na democracia, as divergências de opinião  e o debate de ideias são perfeitamente normais, e até salutar, mas o “que não é normal e nem tolerável, é o uso de palavras menos apropriadas e ofensivas que acabam por minar a tão imprescindível  discussão  de projectos de sociedade de cada formação política e, por conseguinte, com inegáveis prejuízos para o povo guineense”

O líder do parlamento que se encontra no estrangeiro em tratamento médico disse compreender e que até encoraja “fervor na discussão” de assuntos públicos, por o Parlamento ser o centro “nevrálgico do combate político”, contudo afirma que tem que se desenrolar dentro dos limites prescritos na lei, obedecendo sempre aos princípios da ética parlamentar, decoro e urbanidade.

O Presidente da ANP,  manifestou o seu repúdio à forma como decorreram os debates que resultaram nos excessos cometidos. Contudo, disse Cassamá, não quer com essa chamada de atenção  desencorajar o debate no hemiciclo guineense.

“A troca de ideias deve ter como escopo fundamental  a defesa intransigente do interesse nacional, porque afinal de contas foi para isso que fomos eleitos.Temos de prestar contas a esta sociedade, porque não podemos permitir que esta legislatura seja uma vez mais desperdiçada como a legislatura anterior” insistiu, apelando, por isso, à contenção verbal e sentido de responsabilidade de todos os deputados, sem exceção.

Por: Tiago Seide

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa