SISSOCO ANUNCIA QUE GUINÉ-BISSAU MANIFESTOU INTERESSE DE ASSUMIR A PRESIDÊNCIA DA CPLP

O Presidente da República, Umaro Sissoco Embaló, anunciou que a Guiné-Bissau manifestou na Cimeira de Luanda (Angola) o interesse de assumir a presidência rotativa da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP) daqui há dois anos, tendo assegurado que dentro de quinze dias sairá a decisão sobre o país que acolherá a próxima cimeira e consequentemente assumir a presidência rotativa. 

Embaló fez este anúncio em declarações aos jornalistas este sábado, 17 de julho de 2021, no aeroporto internacional Osvaldo Vieira, depois do seu regresso de Luanda, onde participou na Cimeira dos chefes de Estado e do Governo que decorreu nos dias 16 e 17 de julho, na qual a Angola passa a assumir a presidência da CPLP para os próximos dois anos.    

O chefe de Estado disse que a Guiné-Equatorial tinha apresentado o interesse de assumir a presidência da CPLP, mas o Presidente Teodoro Obiang Nguema, acabou por desistir e a Guiné-Bissau avançou e aguarda pela resposta dentro de 15 dias.  

“Eu nunca podia concorrer com a Guiné-Equatorial por uma razão muito simples. Presidente Obiang Nguema, eu considero-o como um pai e não podia correr esse risco de concorrer com o Obiang Nguema, mas ele acabou por desistir e nós avançamos. Estamos em condições hoje de albergar qualquer cimeira, quer da CPLP quer da CEDEAO ou da União Africana” 

Sobre as informações veiculadas sobre existência de uma relação tensa entre Bissau e Luanda, Embaló disse que a Guiné-Bissau não cortou relações  com Angola.

“Da mesma forma que respeitei os Estados Unidos de América, estes devem ter o mesmo respeito para a Guiné-Bissau, porque no concerto das Nações não existe o Estado pequeno ou grandes Estados. Umaro Sissoco Embaló tem compromisso com este povo, enquanto Presidente da República da Guiné-Bissau, seremos respeitados. Angolanos são nossos irmãos, cheguei ontem receberam-me com todo o respeito e cordialidade. O primeiro-ministro teve a mesma receção”, contou.

Embaló afirmou que o que une a Guiné-Bissau com Angola é maior do que qualquer coisa  que possa separá-las. Acrescentou neste particular que “Angola não é propriedade de ninguém na Guiné-Bissau, como também Umaro Sissoco Embaló não é proprietário de nenhum Estado. É verdade que a minha presença na cimeira dissipou muitas dúvidas e inclusive havia pessoas que diziam que não seríamos convidados…”.

Relativamente ao acordo de mobilidade assinado pelos chefes de Estado, o Presidente da República, explicou que o acordo de mobilidade é muito importante e reconhece que sempre houve mobilidade, tendo sublinhado que a Guiné-Bissau e Portugal são os únicos países da CPLP que não tinham o acordo de isenção de vistos nos passaportes diplomáticos e de serviços. 

Assegurou que a Guiné já dispõe de novas cadernetas dos passaportes diplomático de serviços e especiais. Alertou que haverá critérios rígidos na atribuição desses passaportes, de formas a alcançar uma isenção de vistos com todos os países da comunidade.

Por: Assana Sambú

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Figura de Semana

Edição Impressa