LÍDER DO MADEM-G15 AFIRMA QUE SEM NUNO NABIAN NÃO TERIAM O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

O Coordenador Nacional do Movimento para a Alternância Democrática (MADEM), Braima Camará, afirmou que sem o apoio de Nuno Gomes Nabian, não teriam conseguido eleger o Presidente da República.

Camará fez esta afirmação no fim da tarde deste sábado, 31 de julho de 2021, na abertura da reunião do Conselho Nacional daquela formação política que decorre hoje e amanhã, numa das unidades hoteleiras de Bissau.

“Os dirigentes questionam a razão pela qual Nuno Nabian, que tem apenas um deputado, ocupa a pasta de primeiro-ministro. Sem o Nuno Nabian não teríamos o Presidente da República. A política está feita de acordos e compromissos” assegurou, para de seguida reafirmar que “Se não tivéssemos feito  essas cedências ou se não tivéssemos sacrificado as nossas vidas e atividades profissionais não poderíamos ter o Presidente da República”.

O Coordenador do MADEM voltou a referir as últimas trocas de palavras com o Chefe de Estado , Úmaro Sissoco Embaló.

Reafirmou que, na verdade, não existem dois Presidentes da República na Guiné-Bissau nem um co-presidente da República, mas também advertiu que “não há dois coordenadores nacionais do MADEM, muito menos dois presidentes do MADEM”.

“Estamos de olhos abertos e atentos. Os Secretários regionais estão sob a dependência direta do Coordenador Nacional e quaisquer movimentações estranhas que ouvirmos, vamos substituir os secretários regionais infratores. Não há dois Presidentes da República na Guiné-Bissau, nem copresidente da República, mas sim um Presidente da República eleito democraticamente, graças aos esforços de todos vocês aqui. Quero dizer-vos também que não há dois coordenadores nacionais do MADEM, nem dois presidentes do MADEM, mas sim apenas um Coordenador e mais ninguém”.

Camará desafiou os dirigentes que queiram o seu lugar a preparem-se  para o congresso a ser realizado em Setembro de 2022. 


Frisou que ficou calado este tempo todo apesar de ter ouvido muitas coisas, sobretudo os colegas que dizem que ele não tem condições para defender o partido, porque “é o único líder partidário que fica calado a assistir que  os elementos que o próprio indigitou para o governo serem exonerados sem que consiga fazer algo”.

“Aceitei e engoli tudo isso! Alguns militantes e dirigentes do partido interpretaram o meu silêncio como se eu tivesse sido comprado. Mas nem Joe Biden, Presidente dos Estados Unidos de América, tem dinheiro suficiente para comprar-me”. 

Avisou que o tempo das brincadeiras acabara no MADEM e que doravante passam a contar com quem está presente. Enfatizou que no “combate político só quem está presente é que faz falta, quem não está não faz falta”.

“Ninguém é insubstituível no MADEM. Se Braima Camará ficar na sua casa, aparecerão outros melhores que ele.” avisou.

Por: Assana Sambú

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.