GUINÉ-BISSAU BENEFICIA DE UM APOIO DE 21 BILHÕES DE FCFA DO FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL

A Guiné-Bissau beneficiou na quinta-feira, 26 de agosto de 2021, de um apoio financeiro no valor de 21,613 milhões de francos CFA (28,4 milhões de Euros) do Fundo Monetário Internacional (FMI), que corresponde a cem por cento da sua quota junto desta instituição financeira.

Essa alocação aprovada pelo Conselho de governadores do fundo insere-se no quadro da decisão de distribuição de direitos especiais de saques (DES) a todos os países membros, informa um comunicado emitido pelo gabinete do vice-primeiro-ministro esta quinta-feira, a que a redação do jornal O Democrata teve acesso.

“O governo agradece a todas as forças vivas da nação, nomeadamente, a população, os trabalhadores e operadores económicos, pelos sacrifícios consentidos em resultados dos esforços empreendidos pelo governo para o restabelecimento dos equilíbrios macroeconómicos tão necessários para assegurar a confiança dos parceiros internacionais em continuar a apoiar o nosso país”, lê-se no comunicado.

O governo garante que os fundos mobilizados e a mobilizar sejam utilizados de forma criteriosa na resolução dos problemas da sociedade.

A Guiné-Bissau deixou de executar o programa acordado com o fundo desde 2018.

O FMI voltou a considerar a Guiné-Bissau elegível para beneficiar de seus fundos e que, segundo o comunicado, a decisão deve-se aos esforços realizados pelo governo liderado por Nuno Gomes Nabian, na melhoria da gestão das finanças públicas.

O governo lembrou que recebeu em janeiro último, um apoio financeiro da mesma organização, que corresponde a 50 por cento da sua quota, no montante de 14,36 milhões de euros, no quadro da facilidade de crédito rápido aprovado pelo conselho de administração do fundo.

No âmbito do restabelecimento de um programa com o fundo, foi acordado com o corpo técnico do FMI, um programa de referência por um período de nove meses, cuja execução permitirá transformá-lo, em março de 2022, em um programa normal.

Por: Assana Sambú

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.