Assembleia Geral da ONU: SISSOCO REAFIRMA O ENGAJAMENTO DE TRABALHAR COM PARCEIROS INTERNACIONAIS PARA FAZER FACE À COVID-19

O Presidente da República da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, reafirmou o engajamento do país em trabalhar com os  parceiros de desenvolvimento e toda a comunidade internacional  em geral, com vista a encontrar soluções inovadoras, inclusivas e viáveis,  face aos atuais desafios da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Contudo, mostrou-se convencido  que juntos serão capazes de dar motivos de renovada esperança aos respetivos povos e construir um mundo mais solidário e fraterno.

O Chefe de Estado fez estas afirmações na quarta-feira, 23 de setembro de 2021, durante a sua intervenção na 76ª sessão extraordinária da Assembleia Geral das Nações, realizada em Nova Iorque, Estados Unidos de América. 

Embaló disse que perante os desafios criados pela pandemia, o tema escolhido não poderia ser mais pertinente, pois “só com renovada esperança poderemos construir a resiliência para enfrentar as dificuldades socio-económicas e humanitárias causadas pela crise sanitária mundial  e responder, de forma adequada e sustentável  aos atuais desafios”.

Eis na níntegra o discurso do Presidente da República…

Quero dirijir as nossas calorosas felicitações ao Ministro dos Negócios Estrangeiros das ilhas Maldivas, Sr. Abdulla Shahide, Presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas, bem como votos de sucessos.

Perante os desafios criados pela pandemia da COVID-19 , o tema escolhido, não poderia ser mais pertinente, pois só com renovada esperança poderemos construir a resiliência para enfrentar as dificuldades socio-económicas e humanitárias causadas pela crise sanitária mundial  e responder, de forma adequada e sustentável  aos atuais desafios.

Num mundo cada vez mais  globalizado, a relevância da existência da Organização  das Nações Unidas e de suas Agências, tornou-se  de extrema importância.

Perante esta realidade, é urgente  ameliorar a eficiência da nossa Organização e adotar as necessárias reformas, em todos os seus órgãos, incluindo o Conselho de Segurança, com vista à  revitalização do Sistema das Nações  Unidas na sua globalidade. 

Só assim poderemos trabalhar melhor na implementação da agenda 2030, destinada a promover o desenvolvimento humano em todos os seus aspectos, promovendo, muito em particular,  a igualdade de género  e o respeito pelos Direitos Humanos.

É preciso apoiar os mais vulneráveis, promover a  criação de  sistemas de saúde adequados e garantir  a todos os países, sem distinção, um acesso rápido e equitativo às vacinas.

 *Sr. Presidente* ,

A Guiné-Bissau que, durante vários anos,  foi apoiada  pela comunidade internacional, em particular pelas Nações Unidas, a CEDEAO, a CPLP e a União Africana, está hoje empenhada na realização concreta de objetivos endógenos, tais como a consolidação da paz no  país e a criação de melhores condições de vida para a sua população, dando  uma renovada esperança à sociedade guineense. 

Neste contexto e com o fim do mandato da Missão das Nações Unidas  (UNIOGBIS) no nosso país, no final  do ano passado, quero aproveitar esta tribuna para agradecer ao Secretário Geral das Nações Unidas, Sr. António Guterres e a todos os amigos e parceiros da Guiné-Bissau pelo apoio que nos foi prestado e afirmar que hoje estamos a assumir, graças aos nossos próprios esforços, as principais responsabilidades inerentes a um Estado,  garantindo a estabilidade política e o normal funcionamento das  instituições do país. 

 *Senhor Presidente* ,

A problemática das alterações climáticas é uma realidade irrefutável, que embora se faz sentir com mais frequência e impactos nos Paises Insulares em Desenvolvimento (SIDS) de que a Guiné-Bissau faz parte, constituí  um desafio  permanente para todos e por isso o nosso país elaborou planos de Adaptação às Alterações Climáticas a médio e longo prazos e extendeu o sistema Nacional das Áreas Protegidas terrestres e marinhas para mais de 26% do território nacional.

Antes de concluir, gostaria de refirmar o engajamento do nosso país em trabalhar com os  nossos parceiros de desenvolvimento e toda a comunidade internacional  em geral, com vista a encontrarmos soluções inovadoras, inclusivas e viáveis,  face aos atuais desafios da pandemia da COVID-19, convencido de que, juntos somos capazes de dar motivos de renovada esperança aos nossos respectivos povos e de construir um mundo mais solidário e fraterno.

Por: redação 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.