Cipriano Cassamá: “PERCURSO COLETIVO GUINEENSE FOI MANCHADO POR INÚMEROS SOBRESSALTOS”

O presidente da Assembleia Nacional Popular, Cipriano Cassamá, admitiu esta quinta-feira, 23 de setembro de 2021, que o percurso coletivo guineense foi manchado por inúmeros sobressaltos que puseram em causa todas as conquistas alcançadas pelos nossos gloriosos combatentes da liberdade de pátria.

“A situação da persistente instabilidade política convida-nos a refletirmos profundamente sobre o papel do representante face ao representado” disse, para de seguida afirmar que pediram ao povo que confiasse neles a sua representação, mas imediatamente após a eleição esqueceram o seu papel de representá-lo condignamente. 

Cipriano Cassamá reconheceu que a classe política guineense tem mergulhado o país em permanentes conflitos e instabilidades que impedem a realização concreta das aspirações dos cidadãos. 

“Não soubemos, enquanto legítimos representantes do povo guineense, congregar toda a nação à volta dos ideais que serviram de mote à proclamação da independência nacional. Perante este quadro assombroso em que nos encontramos, impõe que trabalhemos todos juntos, superando as nossas clivagens políticas e diferenças pessoais, em prol da realização do bem comum” disse.

Cassamá fez estas afirmações na mensagem proferida por ocasião da celebração do dia do parlamento guineense, 23 de Setembro, véspera da proclamação unilateral da independência da Guiné-Bissau nas matas  de Madina de Boé em 1973. 

O líder do Parlamento disse ainda que o país está mergulhado numa profunda crise social, em decorrência das sucessivas greves na administração pública.

“Este dia é celebrado numa altura em que o país está mergulhado numa profunda crise social, com ondas sucessivas de greves em toda a administração pública guineense,  cujo  abandono do serviço por parte dos técnicos de saúde constitui o seu epicentro” disse, afirmando que os desígnios que presidiram a independência do país não foram cumpridos. 

“É imperioso fazermos uma inflexão, alterar o rumo e imprimir uma nova dinâmica no relacionamento com os nossos concidadãos, sobretudo na forma como gerimos a coisa pública” insistiu, defendendo a consolidação das instituições democráticas e o renovar do compromisso com o povo guineense.

Por: Tiago Seide

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.