Ministro da Educação: “COMUNIDADE NACIONAL E REGIONAL ESTẰO PREOCUPADAS COM O CRESCENTE TERRORISMO E CORRUPÇÃO NA SUB-REGIÃO”

O ministro da Educação Nacional e Ensino Superior, Cirilo Mama Saliu Djalo, relevou esta sexta-feira, 08 de Outubro de 2021, que a comunidade nacional, regional e internacional está preocupada com os níveis crescentes do crime organizado nomeadamente, a corrupção, o terrorismo e as incidências negativas que assolam as sociedades e as economias.

Cirilo Mama Saliu Djalo falava na cerimónia de abertura da quarta edição do concurso de dissertação entre os estudantes de diferentes Universidades da sub-região sobre o impacto do branqueamento  de capitais e o financiamento do terrorismo  nas economias da África Ocidental, organizado pelo Grupo Intergovernamental de Ação contra o Branqueamento de Capitais em África Ocidental (GIABA), em colaboração com a Célula Nacional de Tratamento de Informações Financeiras da Guiné-Bissau (CENTIF-GB) num dos hotéis de capital Bissau.    

Na ocasião, Cirilo Djalo disse que a tarefa de prevenir o branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo na África Ocidental interpela a todos, particularmente os jovens cuja tomada de consciência e participação no processo constituem fatores importantes para o sucesso desse combate comum.

Por seu lado, o representante do Grupo Intergovernamental de Acção contra o Branqueamento de Capitais em África Ocidental (GIABA), AlphousseyniDiamanka, assegurou que o concurso entre os universitários sobre Branqueamento de capitais e o Financiamento do Terrorismo nas economias da África OOcidenta não só se inscreve na iniciativa de GIABA, sobretudo no reforço da sensibilização das partes envolvidas nessa matéria, mas também visa engajar a sociedade civil contra o crime transnacional na juventude.

Diamanka sublinhou que graças a essa abordagem, o GIABA encoraja a todos os jovens estudantes universitários a desenvolverem pesquisas dependentes sobre o impacto do branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo na África Ocidental e propor soluções criativas, através do concurso de oratória, apresentando diversos discursos sobre essa matéria para todos estudantes, mas sobretudo para a Guiné-Bissau e a região.

Para o presidente da Célula Nacional de Tratamento de Informações Financeiras da Guiné-Bissau (CENTIF-GB), Justino Sá, a CENTIF sentiu-se honrada com a presença dos estudantes de diferentes universidades nesse encontro tão importante não só para o início de exercício da investigação académica, mas também vai servir como mecanismo de fortificação das estruturas do combate ao crime organizado, em especial o branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo nos países da sub-região. 

Acrescentou que a estratégia dessa luta contra obranqueamento de capitais e financiamento do terrorismo deve assentar em primeiro lugar num compromisso de atual geração.

No encontro, participaram 100 estudantes de diferentes universidades da sub-região.

Por: Aguinaldo Ampa

Foto: A.A          

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.