MINISTÉRIO DAS PESCAS INICIA A OPERAÇÃO DE CONTROLO DAS ÁGUAS DA GUINÉ-BISSAU

O ministério das Pescas iniciou a operação de controlo das águas territoriais da Guiné-Bissau, na sequência do período de repouso biológico e da pausa na atividade de pesca anunciado no passado dia 22 de dezembro de 2021,  que deverá decorrer de 1 a 31 de janeiro de 2022.

A operação lançada esta tarde foi marcada por um pequeno exercício de incursão das vedetas de fiscalização nos cais de Bissau sobre como os elementos da Guarda Costeira e da Marinha da Guerra nacionais conduzirão as operações de trinta dias, período determinado pelo governo para o repouso biológico.

Em declaração aos jornalistas, o ministro das Pescas, Mário Siano Fambé, sublinhou que o governo decidiu lançar este desafio, porque os estudos científicos de aconselhamento realizados mostram que era necessário avançar com a iniciativa, para garantir que a futura geração “beneficie nossos recursos haliêuticos”.

Mário Fambé enfatizou que se trata de um “ato corajoso”, visto que desde a independência do país nenhuma iniciativa de género foi tomada e que ambição do ministério é colocar nas águas barcos com maior capacidade e meios de fiscalização.

O ministro das Pescas anunciou que, no âmbito desta operação, a partir do dia 9 de janeiro o governo terá um barco de estudo científico para acompanhar a pausa na atividade de pesca e apresentará fatos reais dos resultados dos próximos trinta dias do repouso biológico. 

O governante assegurou que não haverá escassez, porque a pesca artesanal vai continuar as suas atividades e porque também as câmaras frigoríficas de Bissau estão com peixe em quantidade razoável para aguentar os trinta dias.

“Vamos continuar apoiar as vendeiras que compram peixe no Senegal para continuar a abastecer o mercado nacional”, assegurou, anunciando que na segunda fase, o ministério das pescas vai trabalhar na construção de um porto industrial para permitir que toda a cadeia de pesca possa funcionar devidamente e trazer mais-valia para a economia nacional e acabar com déficit orçamental. 

MARINHA ANUNCIA TRÊS FRENTES PARA TORNAR A OPERAÇÃO EFICAZ

Na sua curta declaração, o Contra-almirante Alfredo Mandungal, Chefe de Estado-Maior da Marinha da Guerra Nacional, anunciou que, no âmbito da operação, vão ser abertas três frentes: norte, centro e sul e que em cada uma das frentes será colocado um “navio maio” e os seus auxiliares.

Aos armadores, alertou que serão intransigentes no cumprimento das medidas adotadas pelo governo com homens  de prontidão 24/24 horas  para  acompanhar os trabalhos de  implementação do período de repouso biológico.

“O ministério das pescas apoiou-nos com a logística e temos meios”, afirmou e disse que vão colaborar e cumprir as directrizes do governo para o sucesso da iniciativa.

“Não vamos ter muitas dificuldades, mas cumpram as regras e sigam os conselhos do ministro” disse, dirigindo-se às equipas de operação de fiscalização.

Por: Filomeno Sambú

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.