BIAGUÊ NA N’TAN ANUNCIA A CRIAÇÃO DA ESCOLA DE FORMAÇÃO MILITAR

O Chefe de Estado-maior general das Forças Armadas, Biaguê Na N’Tan, anunciou a criação de uma Escola de Formação e Capacitação para Militares e paramilitares em Cumeré, para permitir que a classe castrense tenha condições de participar em missões de manutenção de paz no estrangeiro.

“É preciso formar os jovens. A França já nos deu uma bolsa de estudos. Neste momento, temos 91 militares a formarem-se na Rússia. Brasil, Marrocos e Portugal também. O ano de 2022 vai ser um ano em que vamos falar pouco. Mas vamos mostrar a nossa capacidade militar”, referiu está sexta-feira, 14 de janeiro de 2022, na cerimónia de cumprimentos de Ano Novo que recebeu das chefias  militares dos três ramos.

Na sua declaração, frisou que o Centro de Instrução de Cumeré não pode ficar sem ter uma Escola de Formação militar, tendo defendido a criação de uma “FORÇA UNIDA” que integrará militares e paramilitares, para a estabilização definitiva da Guiné-Bissau.

Biaguê Na N’tam anunciou ainda, para este ano, a participação dos militares guineenses em missão de observação em Moçambique e em exercício militar num país amigo da Guiné-Bissau, assim como vão fazer parte de uma força militar na República Centro Africana.

“Os convites foram feitos por termos criado condições para a paz e estabilidade no país. Se não tivéssemos criado essas condições, esses países não nos teriam convidado. Por isso, o meu apelo para todos é no sentido de conservarmos a paz no nosso país”, disse, elegendo 2022 como um ano para mostrar a capacidade dos militares na preservação da paz.

Perante esses fatos, o Chefe de Estado-maior general das Forças Armads apelou à classe castrense a criar condições para que haja a estabilidade definitiva na Guiné-Bissau.

“Já temos a paz na Guiné-Bissau. É preciso agora trabalharmos em conjunto para a estabilização do país. Se fizermos isso, o povo verá um país estável no qual os operadores económicos vão ter a coragem para vir investir, promover desenvolvimento e o bem-estar da população” disse.

“Recebi hoje, uma carta do chefe de Estado maior general das Forças Armadas de Portugal a solicitar-nos para participar num exercício militar conjunto. Portanto, vigiemos  juntos esta paz no país, porque vamos ter muitos ganhos” concluiu.

Por: Tiago Seide

Author: O DEMOCRATA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.