Região de Gabú: CENTROS DE SAÚDE DE SETORES DE BOÉ E PITCHE PARCIALMENTE FECHADOS POR FALTA DE TÉCNICOS 

Os centros de saúde dos setores de Boé e Pitche, designadamente de Lugadjol, Dandu e Gâ-Califa, estão parcialmente fechados por falta de técnicos para cobrir todos os serviços. O funcionamento a meio gás e fecho parcial desses centros deve-se à medida do executivo que suspendeu a admissão de novos ingressos e contratos para o setor de saúde, facto que obrigou os técnicos a abandonarem os seus postos de serviços.  

Em entrevista ao Jornal O Democrata por telefone, o coordenador dos técnicos novos ingressos do setor de saúde da região de Gabu, Nua Seide, afirmou que a decisão tomada pelo executivo está a ganhar contornos imprevisíveis na vida da população.

Segundo Nua Seide, a medida levou o hospital e alguns centros de saúde da região a funcionar a meio gás, devido à falta de recursos humanos para responder às demandas da população. Por exemplo, o centro de saúde de Gã-Califá (Tipo C rural), com uma população estimada de 7.044 habitantes, tem apenas quatro técnicos, dos quais dois são novos ingressos.

Neste momento, o centro está a ser assegurado apenas por um técnico, porque entre os dois efetivos uma está grávida e encontra neste momento em Bissau a cuidar da sua gestação.

“As autoridades têm que admitir que essa medida está a ter impactos na vida das populações, porque os fatos no terreno são evidentes. Dandu, por exemplo, tem cinco mil habitantes para três técnicos, dos quais dois novos ingressos. Neste momento, o centro tem apenas um pessoal de saúde. Lugadjol tem 4.958 habitantes e dois técnicos, um novo ingresso. Gã Canquelifá tem neste momento um técnico disponível na estrutura para dar cobertura sanitária a mais de sete mil habitantes?”, questionou e disse que esses dados revelam o quanto é preocupante a decisão do governo.

De acordo com Nua Seide, a região de Gabu tem, no total, 227 técnicos de saúde, dos quais 110 são novos ingressos, que decidiram deixar os seus postos de trabalho na sequência do anúncio do fim de contratos e a medida do executivo de não admitir a entrada de novos técnicos de saúde na função pública.   

O coordenador dos técnicos novos ingressos da região de Gabú admitiu que muitos serviços estão paralisados, porque o número de técnicos em ativo não estará em condições de assegurar todos os pacotes, nomeadamente consultas, nutrição e maternidade.

“Não posso especificar os serviços que estão paralisados neste momento. O hospital regional tem 114 técnicos, dos quais 60 são novos ingresso. Tendo este número de técnicos em casa, é óbvio que haverá uma grande quebra no funcionamento do hospital e de alguns serviços. Haverá um funcionamento a meio gás de serviços, porque quase metade dos técnicos está em casa”, contou.

Perante esta situação, Nua Seide afirmou que não se pode falar de um atendimento são aos pacientes, porque “os técnicos em ativo não podem cobrir as 19 áreas sanitárias de Gabu e o hospital regional”.

Por: Filomeno Sambú

1 thought on “Região de Gabú: CENTROS DE SAÚDE DE SETORES DE BOÉ E PITCHE PARCIALMENTE FECHADOS POR FALTA DE TÉCNICOS 

  1. Se o povô não consegue reparar as maldades feita pelo executivo para poder tomar as medidas que vão amortigoar as perdas humanas urgentemente, que preparam então para lidar com a devastação.
    Ninguém vai sair do outro mundo para travar estas m***** que estão a cambalear fruto das inalações continua de substâncias enviciadas.
    Assessinos, os indignos representantes do povô.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.