HOMENS FARDADOS AMEAÇAM BOTCHE CANDÉ A MORTE

O ex-ministro de Comércio do Governo deposto por golpe de Estado e dirigente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Botche Candé denunciou numa entrevista exclusiva ao nosso semanário, que foi alvo de ameaça do sequestro e da morte por homens vestidos de uniformes e armas (AK-47) de uso militar. “O mais grave de tudo isto é quando saímos de Bafatá no dia 15 e o mesmo grupo de pessoas perseguiu-nos até depois de passarmos o controlo de Jugudul; apercebemos de uma viatura que vinha com grande velocidade como um avião e interceptou a nossa viatura. Desceram com as armas na mão e apontaram-nas a mim, mas felizmente havia força militar da CEDEAO – ECOMIB que me escoltava e foi eles é que impediram essas pessoas de me levar; portanto foi eles é que conseguiram salvar-me”, contou o político, tristemente.O coordenador do PAIGC para a província leste e candidato dos libertadores no círculo 14 (região de Bafatá), Botche Candé lembrou ainda a’O Democrata que no dia 12 de Abril, nas vésperas das eleições gerais, recebeu um telefonema de alguém que o alertou em não viajar para a Bafatá, porque circulavam informações de que teria havido pessoas que o queriam deter ou assassiná-lo. Acrescentou ainda que, não obstante as informações de ameaças sobre a sua pessoa que recebeu, decidiu viajar para a região de Bafatá, porque na qualidade do responsável do seu partido na província leste tinha que ir preparar a base para o processo das eleições.

Por: Redação

 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.